PUBLICIDADE
Topo

Sangue nos olhos e jogo da vida: Bruno Guimarães define Brasil x Argentina

Bruno Guimarães foi um dos destaques do Brasil na vitória por 1 a 0 contra o Peru - Lucas Figueiredo/CBF
Bruno Guimarães foi um dos destaques do Brasil na vitória por 1 a 0 contra o Peru Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Danilo Lavieri

Do UOL, em Bucaramanga (Colômbia)

08/02/2020 18h07

Classificação e Jogos

Bruno Guimarães usou expressões fortes para definir o que o grupo da seleção brasileira vive às vésperas do jogo contra a Argentina pela última rodada do Pré-Olímpico. Para não depender de nenhum resultado e conseguir a vaga em Tóquio-2020, o time vai ter que vencer os hermanos, única seleção que está com 100% de aproveitamento até aqui. A partida está marcada para 22h30 (de Brasília) deste domingo (9).

O capitão do Brasil admitiu que o time mostrou um pouco de ansiedade, nas duas últimas rodadas do quadrangular, contra Colômbia e Uruguai, e disse que o time precisa apresentar algo diferente carimbar o passaporte para o Japão.

"Eu acho que o professor está certo (em falar que o time ficou ansioso). Erramos muitos passes, especialmente no primeiro tempo com a Colômbia. O time estava ansioso. É até normal a gente ficar assim, porque estamos buscando o resultado, em um jogo difícil, e aí em um bate rebate sai o gol do adversário. Mas amanhã é diferente, é sempre um jogo a parte. Temos que estar focados porque é o jogo da vida de todos", afirmou.

"Brasil e Argentina é sangue nos olhos. Vale a classificação para as Olimpíadas. É realização dos sonhos, então é entrar super focado", completou.

Bruno revelou, inclusive, que recusou propostas de alguns times antes de acertar com o Lyon para poder disputar as Olimpíadas. Aos 22 anos, essa é a última chance dele de estar nesta competição com idade olímpica.

"É um dos momentos mais importantes, mas não só para mim, mas também para vários outros jogadores. Todo mundo quer estar na Olimpíada, não só eu. Eu tive um monte de proposta, de futebol chinês, por exemplo, e recusei para poder jogar as Olimpíadas. Abri mão de muita coisa pelo sonho de estar lá", finalizou.

Seleção Brasileira