PUBLICIDADE
Topo

Conselho do Cruzeiro se reúne para atualizar números da crise financeira

José Dalai Rocha é o atual presidente do Conselho Deliberativo e convocou a reunião desta quinta-feira - Bruno Haddad/Cruzeiro
José Dalai Rocha é o atual presidente do Conselho Deliberativo e convocou a reunião desta quinta-feira Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

06/02/2020 04h00

O Cruzeiro terá um compromisso importante fora das quatro linhas na noite de hoje (6). Às 19h, o Conselho Deliberativo, presidido por José Dalai Rocha, irá examinar e votar as demonstrações contábeis do clube referentes ao ano de 2018. Uma auditoria independente foi realizada e tornou ainda piores os números da crise celeste.

No final de abril do ano passado, o clube informou que o déficit do exercício 2018, o primeiro da gestão Wagner Pires de Sá, foi de R$ 27,2 milhões, valor quase três vezes menor que os R$ 73,8 milhões apontados pela nova auditoria. A reunião de hoje irá discutir essas diferenças e o balanço como um todo, o que deveria ter sido feito ainda em 2019, mas que nunca foi realizada. Participarão do encontro os conselheiros beneméritos, natos e efetivos. A reunião será realizada no Parque Esportivo do Barro Preto.

Inicialmente, o Cruzeiro informou que tinha R$ 520 milhões em dívidas até 2018. No demonstrativo da nova auditoria, esses números foram atualizados para R$ 534 milhões até o mesmo período. Hoje, diretores do clube já estipulam que a dívida total do clube esteja avaliada em mais de R$ 800 milhões.

Outros pontos analisados pela auditoria e que também serão expostos dizem respeito à venda de Arrascaeta, contestada por causa de uma 'manobra' do clube. O uruguaio foi vendido em 2019, mas sua venda foi contabilizada no exercício de 2018, o que acabou sendo desfeito. Além disso, as cotas do Campeonato Brasileiro adiantadas pela última gestão (cerca de R$ 47,5 milhões) e os empréstimos realizados (quase R$ 100 milhões) ajudarão a explicar e dar mais transparência à real situação financeira do clube.

Enquanto tenta encontrar números mais reais sobre o tamanho de sua crise, a atual administração do Cruzeiro também segue trabalhando para diminuir seus gastos. Nesta semana, Carlos Ferreira, interlocutor do futebol no núcleo dirigente, revelou que o clube conseguiu diminuir a folha salarial de R$ 15 milhões para R$ 3 milhões mensais.

Apesar disso, o clube ainda busca um acordo para se desfazer de jogadores importantes como Fred, Dedé, Rodriguinho, Rafael e Éderson, que não entraram em acordo e não vestirão mais a camisa celeste em 2020.

Cruzeiro