PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Fluminense joga mal, empata com La Calera e definirá vaga no Chile

Fluminense teve atuação apagada e cedeu empate ao La Calera quatro minutos após abrir placar - Thiago Ribeiro/AGIF
Fluminense teve atuação apagada e cedeu empate ao La Calera quatro minutos após abrir placar Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

04/02/2020 23h26

Em atuação apagada, o Fluminense só empatou por 1 a 1 com Unión La Calera-CHI nesta terça-feira, no Maracanã, pela primeira rodada da Copa Sul-Americana. Agora, o Tricolor terá que decidir a classificação, no Chile, no dia 18. Evanilson abriu o placar para o Tricolor, mas Castellani deixou tudo igual já no segundo tempo.

O resultado não é nada bom para o Fluminense que tinha como objetivo conquistar uma boa vitória no Maracanã. Além disso, o gol marcado fora de casa é mais um fator que complica a vida do Tricolor. Se o time não balançar as redes no Chile estará eliminado.

Em seis minutos, Evanílson "conserta" Flu

O atacante Evanílson mostrou estrela mais uma vez. Depois de marcar duas vezes em sua estreia como titular, o jovem de 20 anos precisou de apenas seis minutos em campo para abrir o placar no Maracanã. O camisa 9 se deslocou perfeitamente e recebeu linda bola de Marcos Paulo para explodir o canto esquerdo de Arias e marcar pela primeira vez em 2020. Pelo gol, o jogador foi o melhor do Fluminense na atuação ruim da equipe.

Yago mal toca na bola e sai no intervalo

Escalado aberto na direita da linha de quatro no meio de campo, Yago não repetiu suas melhores atuações. Assim como no primeiro tempo contra o Flamengo, o meia ficou preso demais, com o Tricolor preferindo forçar jogadas com Matheus Alesandro, que também não fez boa partida.

Quase inerte no jogo —nas poucas vezes que apareceu, acertou apenas um chute no meio do gol—, o camisa 20 foi substituído ainda no intervalo para a entrada de Marcos Paulo, que, mesmo fora de forma, fez a equipe melhorar com mais dinâmica e poder de fogo no ataque.

Com camisa do Flu, Alisson acompanha irmão

Alisson - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Melhor goleiro do mundo, Alisson vestiu a camisa do Fluminense nesta terça antes da bola rolar no Maracanã. Calma, torcedor tricolor, não se trata do novo reforço do clube. O jogador do Liverpool-ING esteve no estádio para apoiar Muriel, seu irmão mais velho, titular do Tricolor. Quem também marcou presença foi Fernando Pacheco, que tirou fotos com torcedores antes de a bola rolar.

Escalação sem centroavante não funciona de novo

O Fluminense começou a partida contra o Unión La Calera repetindo a escalação da vitória no Fla-Flu. Sem centroavante, o Tricolor tinha Miguel e Nenê flutuando na frente, e Matheus Alessandro e Yago nas extremas, em linha de quatro sem a bola e, em tese, avançando com ela.

Mais uma vez, entretanto, o esquema não funcionou. A saída de bola e a transição até se mostraram mais rápidas com Henrique e Hudson, com boas colaborações de Nenê, que voltava bastante. Dali para a frente, entretanto, o Flu não criava nada e vivia de poucos roubos de bola e saídas em transição: foram assim as quatro finalizações da equipe no gol.

O time de Odair Hellmann esbarrou, é bem verdade, em uma forte marcação dos chilenos, que dobravam nas laterais.

Tricolor melhora no segundo tempo, mas toma gol bobo

Na volta do intervalo, Odair trocou Yago por Marcos Paulo e o Flu melhorou bastante no jogo. Só por ter uma referência e um jogador de mais qualidade no ataque, a equipe tinha mais poder de fogo e dinâmica desde os primeiros minutos.

O Tricolor poderia até ter aberto o placar, aos 21, se Miguel tivesse caprichado na finalização após receber lindo passe de calcanhar de Nenê. O jovem de 16 anos, entretanto, chutou fraco, em cima de Arias, que evitou o primeiro gol dos donos da casa no reflexo.

Com Evanílson na vaga de Matheus Alessandro, o Fluminense teve pela primeira vez sua dupla de ataque titular em campo em 2020. E bastaram seis minutos para os dois desencantarem: Marcos Paulo recebeu na entrada da área, girou e enfiou linda bola para o camisa 9, que escolheu o canto e fuzilou para abrir o placar.

O resultado de 1 a 0 era justo apesar da má atuação do Tricolor, que mesmo sem brilhar, dominou as ações. Mas cinco minutos depois, o Fluminense se desconcentrou em uma cobrança de lateral do La Calera, perdeu três divididas em sequência e viu Miguel não acompanhar Castellani, o mais lúcido dos chilenos. O camisa 8 bateu forte de fora da área para vencer Muriel e empatar o jogo.

Miguel quase marca golaço

Após um início de jogo muito ruim, o Fluminense aos poucos conseguiu colocar a bola no chão e criar boas jogadas ofensivas. Um dos destaques do time era Miguel, que usava sua habilidade para tentar o primeiro gol da equipe. Ele aproveitou passe de Nenê e pegou de primeira, no alto, para boa defesa de Arias.

Duas vezes

Miguel teve bom desempenho no primeiro tempo e era boa alternativa também como opção de passe. Assim como ocorreu em conexão com Nenê, ele estava bem posicionado para receber lançamento de Matheus Alessandro. O jovem jogador dominou no peito e tentou encobrir o goleiro chileno, que manou para escanteio.

Marcos Paulo perde boas chances

No segundo tempo, a partida seguiu na mesma pegada. O Fluminense tentando furar a forte marcação com cuidado para não levar um contra-ataque. O problema é que nas boas chances criadas a a jogada morreu nos pés de Marcos Paulo. A torcida reclamou bastante após alguns erros consecutivos do jovem jogador.

Nenê brilha, mas Miguel perde gol feito

O experiente Nenê assumiu a liderança da equipe com a pressão cada vez maior no segundo tempo. O camisa 24 deu passe primoroso de calcanhar para Miguel, que ficou cara a cara com Arias. O jovem apoiador, no entanto, finalizou muito mal, em cima do goleiro chileno, e perdeu a melhor chance da partida. Mandou mal.

Evanilson entra e abre placar após seis minutos

O técnico Osair Hellmann decidiu mandar a campo um time sem centroavantes e não conseguiu criar grandes oportunidades. Até que aos 19min decidiu por Evanilson em campo. Pois ele precisou de apenas seis minutos para receber na grande área e finalizar sem chances para o adversário: 1 a 0.

Flu vacila, e La Calera empata em primeiro ataque

Em vantagem, o Fluminense tinha tudo para fazer um placar mais elástico. O problema é que os chilenos se lançaram ao ataque e conseguiram o empate justamente no primeiro ataque. Hudson perdeu dividida, Saéz ajeitou para Castellani chutar de primeira, no cantinho de Muriel: 1 a 1.

La Calera fica com menos um

Aos 36min do segundo tempo, Thomas Rodriguez dividiu com Digão e acabou acertando com o pé a cabeça do zagueiro. Ele recebeu o cartão vermelho direito e deixou o Fluminense em vantagem numérica. O Tricolor pressionou, mas não conseguiu o segundo gol.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 1 UNIÓN LA CALERA

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 04 de fevereiro de 2020 (terça-feira), às 21h30
Árbitro: Carlos Herrera Bernal (COL)
Assistentes: Alexander Guzmán e John Alejandro Gallego (COL)
Cartões amarelo: Hudson, Miguel, Michel Araújo (FLU) Valência, Castellani, Thomas Rodriguez (ULC)
Cartão vermelho: Thomas Rodriguez (ULC)
Gols: Evanilson, aos 24min, e Castellani, aos 28min do segundo tempo

FLUMINENSE: Muriel; Gilberto, Luccas Claro, Digão e Egídio; Henrique, Hudson, Yago (Marcos Paulo) e Nenê; Miguel (Michel Araújo) e Matheus Alessandro (Evanílson). Técnico: Odair Hellmann.

UNIÓN LA CALERA: Martin Arias; Andías (Navarrete), Vilches, García e Cordero; Leiva, Seymour (Thomas Rodriguez), Valencia, Castellani e Stefanelli (Cáceres); Sáez. Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

Fluminense