PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Pré-Olímpico: Brasil sofre de novo com zaga, mas arranca empate da Colômbia

Matheus Henrique e Cetré disputam lance; jogo foi equilibrado - REUTERS/Luisa Gonzalez
Matheus Henrique e Cetré disputam lance; jogo foi equilibrado Imagem: REUTERS/Luisa Gonzalez

Danilo Lavieri

Do UOL, em Bucaramanga (Colômbia)

04/02/2020 00h25

Classificação e Jogos

O Brasil sofreu, viu sua zaga errar novamente em momentos cruciais, mas conseguiu arrancar o empate da Colômbia na estreia do quadrangular final do Pré-Olímpico. Com gol de Matheus Cunha, a equipe de André Jardine estreou na fase decisiva do torneio nesta segunda-feira (3), em Bucaramanga, com um empate por 1 a 1.

Nem mesmo as substituições de André Jardine fizeram a defesa mostrar mais segurança. Bruno Fuchs e Iago, ex-companheiros de Internacional, erraram bastante. O lateral esquerdo, inclusive, falhou no gol da Colômbia ao simplesmente não sair do chão para disputar um cruzamento. Com a vantagem, os donos da casa, que lotaram o estádio, se retrancaram e dificultaram o jogo brasileiro. O gol saiu com chute de longe do artilheiro do "projeto olímpico" de Jardine.

Com o resultado, Brasil e Colômbia ficam com um ponto cada, empatados na segunda colocação. A líder é a Argentina, que ganhou do Uruguai no jogo que abriu a rodada por 3 a 2. Na próxima rodada, a seleção enfrenta os uruguaios na quinta-feira, às 20h (de Brasília).

O melhor do Brasil: Matheus Cunha

Matheus Cunha - REUTERS/Luisa Gonzalez - REUTERS/Luisa Gonzalez
Imagem: REUTERS/Luisa Gonzalez

O atacante não conseguiu se destacar durante os 90 minutos por conta da forte marcação da Colômbia, mas apareceu na hora que precisava com um golaço fora da área. Agora, são 12 gols em 14 jogos no Projeto Olímpico.

O pior do Brasil: Iago

O lateral esquerdo foi uma das novidades de André Jardine, mas não correspondeu. Errou passes bobos no início do jogo e não saiu do chão para disputar a bola com Cetré, da Colômbia, que abriu o placar.

Brasil começa assustado, mas reage e pressiona Colômbia

O jogo começou com o Brasil errando passes simples na sua defesa. Primeiro, com Bruno Fuchs e, depois, com Iago, que cruzou a bola no meio e viu Carrascal roubar a bola na intermediária e disparar. Paulinho apareceu de última hora e salvou. O time parecia assustado, talvez por esse ser o primeiro jogo com estádio cheio e torcida contra em toda a competição. Depois de um tempo, o time de André Jardine reagiu e começou a pressionar com jogadas de Antony, Matheus Cunha e Pedrinho. Quando tudo parecia controlado...

Colômbia abre o placar com jogada aérea

O Brasil se estabeleceu no jogo e parou de correr riscos. Em uma jogada isolada, Benedetti recebeu pela esquerda e cruzou para Cetré, que precisou de pouco esforço para ganhar de Iago no alto e abrir o placar para o delírio dos mais de 20 mil torcedores que quase encheram o Estádio Alfonso López, em Bucaramanga.

Brasil volta, pressiona Colômbia e põe Pepê

O Brasil voltou para o segundo tempo pressionando bastante a Colômbia. Em três minutos, Antony cruzou para Pedrinho, que errou cabeçada dentro da pequena área. Logo em seguida, o são-paulino disparou pela direita e chutou cruzado, com a bola raspando a trave. Quando os donos da casa começaram a reagir, Jardine chamou Pepê e fez uma substituição diferente da prevista, tirando Pedrinho.

Juiz marca falta e salva Nino e o Brasil

O Brasil dominava quase o jogo inteiro, mas passou um susto com Nino. O zagueiro demorou a tomar uma decisão, foi pressionado e perdeu a bola para Alvarado, que saiu cara a cara com o goleiro e faria o segundo. Para a sorte do time de Jardine e do zagueiro, o juiz marcou uma infração.

Matheus Cunha faz belo gol de fora da área e provoca

O artilheiro da "era Jardine" voltou a aparecer na hora que o time mais precisava. Com o time sofrendo para pressionar a Colômbia por conta da marcação na intermediária, a seleção precisava de chutes de longe. Matheus Cunha entendeu isso e chutou de fora da área para empatar com um belo gol. Com 12 gols em 14 jogos, ele provocou os donos da casa com uma comemoração ao estilo Cristiano Ronaldo: "calma, eu estou aqui".

Jardine muda três jogadores, e Tite acompanha tudo da tribuna

Iago - REUTERS/Luisa Gonzalez - REUTERS/Luisa Gonzalez
Imagem: REUTERS/Luisa Gonzalez

André Jardine mudou o time titular pela primeira vez por opção e trocou quase a sua linha inteira de defesa. Ele tirou Guga, Robson Bambu e Caio Henrique para as entradas de Dodô, Bruno Fuchs e Iago. A ideia era ter mais segurança na defesa. Da tribuna, Tite observou a todo o jogo ao lado de Rogério Caboclo, presidente da CBF, Francisco Noveletto, vice, e Juninho Paulista, coordenador de seleções. Mais cedo, eles compareceram à concentração da seleção para almoçar com a delegação.

FICHA TÉCNICA

Colômbia 1 x 1 Brasil

Local: Estádio Alfonso López, em Bucaramanga (Colômbia)
Data: 3 de fevereiro de 2020 (segunda-feira)
Horário: 22h30 (de Brasília)
Árbitro: Ángel Arteaga (Venezuela)
Assistentes: Túlio Moreno e Lubin Torrealba (Venezuela)

Gols: Cetré, aos 27 minutos do primeiro tempo; Matheus Cunha, aos 26 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Balanta, Ditta, Alvarado e Carbonero (Colômbia); Bruno Fuchs, Bruno Guimarães e Nino (Brasil)

Colômbia: Ruiz; Herrera, Ditta, Segura e Fuentes; Atuesta, Alvarado e Balanta; Cetré (Arroyo), Carrascal (Sandoval) e Benedetti (Carbonero). Técnico: Arturo Reyes

Brasil: Ivan; Dodô (Guga), Nino, Bruno Fuchs e Iago; Matheus Henrique, Bruno Guimarães e Pedrinho (Pepê); Antony, Paulinho (Reinier) e Matheus Cunha. Técnico: André Jardine

Seleção Brasileira