PUBLICIDADE
Topo

Futebol

São Paulo-AP avalia contratar goleiro Bruno após ter apoio de patrocinador

Goleiro Bruno Fernandes dá entrevista a Record  - Reprodução/Record
Goleiro Bruno Fernandes dá entrevista a Record Imagem: Reprodução/Record

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Ponta Grossa (PR)

28/01/2020 14h18

Resumo da notícia

  • Presidente do São Paulo afirma que estuda contratação do goleiro Bruno
  • Clube do Amapá diz ter patrocinador disposto a bancar chegada do goleiro
  • Com o aval, diretoria deve se reunir para debater contratação e enviar proposta ao atleta
  • Jogador está em regime semiaberto após ser condenado a mais de 20 anos de prisão pela morte de Eliza Samudio
  • Bruno já chegou a acertar com quatro clubes desde o ano passado, mas todos desistiram após anunciarem sua contratação

O São Paulo-AP é o novo clube interessado na contratação do goleiro Bruno, condenado a mais de 20 anos de prisão por envolvimento na morte da modelo Eliza Samudio. Em entrevista ao UOL, o presidente do time, Adenos Lima, afirmou que um dos patrocinadores do clube se ofereceu para bancar financeiramente a contratação e que a diretoria está analisando o caso.

Na reunião com a diretoria, que não tem data marcada, o time analisará três pontos: eventuais repercussões ao clube, avaliação técnica e amparo jurídico, já que o goleiro cumpre pena atualmente em regime semiaberto domiciliar em Minas Gerais e precisaria se ausentar da comarca para outro estado. Ele deixou a prisão em julho de 2019. Após esta análise, será feita a proposta ao atleta.

O caso do clube do Amapá é diferente de outros que tentaram contratar o goleiro desde que deixou a prisão, pois desta vez, a investida tem aval de um patrocinador. Nas operações anteriores, a tentativa partiu dos clubes, que sofreram com perda de patrocínios.

Adenos Lima - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Presidente do São Paulo-AP diz ter patrocinador disposto a bancar contratação de Bruno
Imagem: Arquivo pessoal
"Como tem alguns empresários que ajudam o clube, um deles ofereceu o Bruno e perguntou se gostaríamos de contar com o goleiro. Ficamos de analisar com o restante da diretoria para ver até que ponto é viável trazê-lo por questão financeira e se será bom para o clube. Não obtivemos contato com o Bruno ainda, apenas recebemos a garantia desse empresário local para trazer. Vamos decidir", afirmou Lima.

O presidente do Tricolor da Zona Norte - como é conhecido o clube em Macapá - afirmou que, a pedido do patrocinador, não revela o nome da empresa que bancaria a contratação. Ele também não comentou sobre a condenação que pesa contra o goleiro Bruno, pois o assunto será debatido internamente.

Apesar do ânimo do São Paulo-AP, a possível chegada de Bruno ao futebol amapaense já foi criticada pelo vice-presidente da federação local. Pelas redes sociais, Netto Góes disse que a chegada de Bruno pode "macular a imagem" da competição, prevista para iniciar em março.

"Enquanto dirigente e torcedor do futebol amapaense não concordo com a contratação. A trajetória do atleta extra-campo vai contra toda filosofia que trago comigo e tento implementar em nossas competições. Acredito também que esse tipo de contratação vem pra macular a imagem de uma competição que tem tudo para ser um sucesso", explicou Góes.

Em nota, a Federação Amapaense de Futebol (FAF) informou que "ainda não foi comunicada sobre a possível contratação do goleiro Bruno para compor o time do São Paulo-AP durante os jogos do Campeonato Amapaense".

A entidade acrescentou que compete a ela apenas o papel de "gerenciar e orientar os clubes filiados quanto ao procedimento legal de registro de seus atletas, mas não tem gerência sobre as escolhas desses profissionais".

Portas fechadas ao goleiro

Caso o São Paulo-AP decida oficializar a oferta para contratar o goleiro Bruno, será o quinto clube a buscá-lo para o elenco desde que o atleta deixou a prisão para cumprir o resto da pena em regime semiaberto domiciliar, em julho de 2019.

O atleta, revelado pelo Atlético-MG e campeão brasileiro em 2009 pelo Flamengo, acumula negociações frustradas com clubes de diferentes estados.

O último a desistir de contar com o goleiro foi o Operário Várzea-Grandense, de Mato Grosso, após repercussão negativa, ameaça de perda de patrocínios e protestos de grupos feministas. O clube chegou a anunciar sua contratação, mas desistiu na última quarta-feira.

Também neste ano, o Fluminense de Feira de Santana, da Bahia, também demonstrou interesse, mas recuou depois da repercussão contrária de torcedores, de patrocinadores e do comentário da apresentadora Jéssica Senra, na TV Bahia, que viralizou nas redes sociais.

Pouco mais de um mês depois de deixar a prisão em 2019, o Poços de Caldas, de Minas Gerais, anunciou a contratação de Bruno, porém, houve a rescisão do contrato por conta de pendências jurídicas e financeiras, segundo alegou o clube.

No Ceará, o Barbalha chegou a acertar as bases salariais com o goleiro, mas a pedido do prefeito da cidade de mesmo nome do clube, Argemiro Sampaio, desistiu da contratação. O político era um dos patrocinadores do time cearense.

Oficialmente, Bruno chegou a atuar somente pelo Boa Esporte-MG, em 2017, durante uma partida válida pelo Módulo 2 do hexagonal do Campeonato Mineiro. O clube mineiro perdeu patrocinadores e rescindiu com o atleta.

Futebol