PUBLICIDADE
Topo

Por que o Cruzeiro não seguiu com o jovem Rômulo, avaliado em R$ 700 mil?

Volante Rômulo defendeu a base do Cruzeiro em 2019. Clube tenta mantê-lo no mercado da bola - Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Volante Rômulo defendeu a base do Cruzeiro em 2019. Clube tenta mantê-lo no mercado da bola Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

27/01/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Cruzeiro perdeu o prazo para a compra de Rômulo, que defendeu a base em 2019. Clube tinha até novembro para adquirir 50% dos direitos por R$ 700 mil
  • Agora, o clube tenta recuperar a situação e manter o jogador. O problema é que o agente André Cury não vê a manutenção como uma possibilidade
  • O empresário do jovem é considerado 'persona non grata' na Toca da Raposa II, de acordo com o gestor Carlos Ferreira
  • Procurado para falar sobre a situação do meio-campista, o empresário disparou: "Não há chances de permanência no Cruzeiro hoje"

O Cruzeiro perdeu o prazo para a compra de Rômulo, volante que defendeu as categorias de base em 2019. A diretoria tinha até novembro para adquirir 50% dos direitos econômicos do atleta por R$ 700 mil. Agora, o clube tenta recuperar a situação e manter o jogador. O problema é que André Cury, um de seus agentes, não vê a manutenção como uma possibilidade. Ele é considerado 'persona non grata' na Toca da Raposa II.

Procurado para falar sobre a situação do meio-campista, o empresário disparou: "Não há chances de permanência no Cruzeiro hoje". Perguntado sobre o que houve no caso, Cury foi sucinto: "O Cruzeiro não tinha dinheiro para pagar no prazo estipulado. Por isso, ele não ficou no clube".

A diretoria, por sua vez, vê a manutenção do atleta como uma possibilidade. Com relações cortadas com André Cury, o Núcleo Dirigente Transitório conversa com César Godoy, um dos sócios do empresário.

"Rômulo é um grande jogador em que pese não ter acompanhado a carreira dele na base. Ele é um excelente jogador, muito querido por todos. É complicado fazer uma afirmativa com relação a isso, porque você cria expectativa na torcida. Nós iremos ter uma conversa com os agentes dele. Tivemos uma reunião que avançou bastante, mas há agentes dele que são personas non gratas no Cruzeiro e impedem que se concretize isso. A gente prima pelo diálogo e pelo bom senso também", declarou Carlos Ferreira, gestor do clube mineiro. Ele ainda acrescentou:

"O André Cury hoje é considerado no conselho gestor uma persona non grata. A gente não tem nenhum tipo de sentimento de amizade por ele nesse momento".

Cruzeiro