PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Grêmio inclui cláusula de rescisão unilateral em contrato de Thiago Neves

Marcelo Alvarenga/AGIF
Imagem: Marcelo Alvarenga/AGIF

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

25/01/2020 04h00

Thiago Neves depende de meros trâmites burocráticos para ser confirmado como reforço do Grêmio. Livre no mercado da bola, após rescindir com o Cruzeiro, o meia-atacante assinará contrato até o final de 2020 com possibilidade de prorrogação. A novidade no vínculo, contudo, está em uma cláusula exigida pelos dirigentes gremistas.

Segundo apurou o UOL Esporte, o contrato de Thiago Neves terá cláusula que prevê rescisão unilateral em caso de ocorrência ou flagrante de indisciplina.

A cláusula, na prática, dará liberdade ao Grêmio para romper o compromisso com Thiago Neves imediatamente diante de qualquer episódio que o clube julgue ser disciplinar. Assim, o contrato é suspenso e o meia-atacante não precisa ficar afastado dos jogos.

O termo foi uma das imposições do Grêmio ao jogador, que foi indicado por Renato Gaúcho outra vez. O treinador já havia pedido a contratação de Thiago Neves pelo menos duas vezes — na metade de 2019, o acerto esbarrou em acordo financeiro. À época, a diretoria gremista não fez grande esforço justamente por considerar o negócio de risco.

Prestes a completar 35 anos, Thiago Neves ganhará salário na faixa de R$ 200 mil e com gatilhos de desempenho. A possibilidade de renovação automática está atrelada ao número de partidas e mantém o patamar salarial para 2021.

O Grêmio contratou cinco reforços para o início da temporada: Victor Ferraz, Caio Henrique, Lucas Silva, Luis Orejuela e Vanderlei. Além de Thiago Neves, o clube gaúcho também negocia a chegada de Diego Souza, ex-Botafogo.

Futebol