PUBLICIDADE
Topo

Fluminense apresenta Michel Araújo e Henrique: "Clube com história"

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

24/01/2020 15h51

O Fluminense apresentou nesta sexta-feira (24) mais dois reforços para 2020: o meia-atacante Michel Araújo e o volante Henrique. O uruguaio, em especial, mostrou empolgação em chegar ao Tricolor.

"Assim que saiu a notícia no Uruguai, entrava a cada minuto nas redes sociais para ver o que estava acontecendo, se havia movimentação, se estava avançado. É uma honra estar no Fluminense, um clube com tanta história, e espero construir histórias bonitas por aqui também", disse Araújo.

Já o experiente Henrique se colocou à disposição de Odair Hellmann para atuar em qualquer posição, relembrando dupla vitoriosa com Hudson, que volta a ser seu companheiro no Flu.

"Isso depende do nosso comandante, que é o Odair. Mas vocês falam porque já vivemos isso em outra ocasião, tivemos sucesso na passagem, mas estamos servidos nessa posição. No passado tivemos sucesso e esperamos repetir a dose. Não só em conquistas, mas também em jogos, junto com outros companheiros que tem mostrado muito potencial", declarou.

O volante também respondeu sobre a idade, considerada avançada por alguns. Para ele, a experiência é um trunfo e não um problema.

"Nós vivemos num mundo hoje que a experiência faz diferença. Os jogadores se cuidam muito, e nós temos vivência no futebol, podemos passar isso aos mais novos, assim como também recebemos isso dos experientes quando éramos jovens. É natural, dá liga, nos ajuda sempre. Espero que essa mescla dê certo no Fluminense para a gente brigar por coisas grandes. O menino de 16 anos vai desenvolver o futebol porque os mais experientes vão dar confiança para ele arriscar, ser ousado, e isso traz benefícios sempre. Isso é o futebol", opinou.

Recém-chegado do Uruguai, Michel ainda mostra dificuldades na compreensão do português e não soube dizer se já "se sente em casa" quando perguntado. Mas sobre o campo e a bola, a linguagem é universal: o meia-atacante prefere não escolher posição e evita brigar pela titularidade com Nenê e Ganso.

"Pelo meio está mais difícil, tem Nenê, Ganso, opções muito boas (risos). Mas eu não tenho preferência, creio que posso ajudar atuando pelos dois lados e até centralizado, depende de como o treinador quiser. Estou me esforçando muito e espero dar alegrias quando receber chances", brincou.

Entrosado com o novo companheiro, Henrique mais uma vez utiliza a vivência no futebol para tentar ajudar o estrangeiro a se ambientar o mais rápido possível no Brasil.

"Brinco com o Michel porque já trabalhei muito com estrangeiros. Joguei com argentinos, uruguaios, chilenos, equatorianos, sei como é difícil jogar num futebol diferente, numa cultura diferente, então tentamos incluir eles o máximo possível no nosso ambiente, porque o melhor para ele é melhor para nós também".

Fluminense