PUBLICIDADE
Topo

Flu mostra nova cara em estreia no Carioca, e Nenê ganha pontos 'na briga'

Odair Hellmann passa instruções aos jogadores do Fluminense, em partida contra Cabofriense - FOTO: Lucas Merçon / Fluminense F.C.
Odair Hellmann passa instruções aos jogadores do Fluminense, em partida contra Cabofriense Imagem: FOTO: Lucas Merçon / Fluminense F.C.

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

21/01/2020 04h00

Neste começo de temporada e em meio à transição do elenco, o Fluminense mostrou uma nova cara na estreia no Campeonato Carioca, e o meia Nenê ganhou pontos na disputa por uma vaga na equipe titular, agora, sob o comando de Odair Hellmann, que chegou às Laranjeiras no fim do ano passado.

O Tricolor encarou a Cabofriense com uma formação que tinha três volantes — o que ocasionou críticas da torcida —, Nenê em um setor de transição e dois atacantes. O esquema foi bem diferente daquele ao qual o time se acostumou no ano passado quando, em grande parte dos jogos, utilizou um volante, dois meias e três atacantes, "herança" deixada pelo técnico Fernando Dinz e que também foi explorada por Marcão.

"Os números de esquema tático não fazem diferença. O que importa é o que o time faz com ou sem a bola dentro das fases do jogo, na organização defensiva, ofensiva e nas transições. A ideia central é de uma equipe equilibrada, que possa mostrar essa personalidade de jogo, gerar mais no último terço do campo para criarmos mais oportunidade e manter o equilíbrio entre os setores para que mantenhamos uma equipe competitiva", afirmou Odair.

Allan, principal nome à frente da zaga na última temporada, fechou com o Atlético-MG. Para o setor e compensar a perda, a diretoria do Fluminense acertou com Hudson, do São Paulo, que se destacou no duelo do último sábado (18), e Henrique, que estava no Cruzeiro e pode ser anunciado em breve. Além disso, houve a manutenção de Yuri, que estava emprestado pelo Santos.

Em uma função quase que como um ponta esquerda, Nenê auxiliou nas articulações do setor ofensivo e fez o gol da vitória. Ano passado, o camisa 77 não conseguiu engrenar uma sequência e alternou entre a titularidade e o banco de reservas. Durante a janela de transferência, inclusive, chegou a ser especulada uma saída e, internamente, a avaliação era de que, caso chegasse uma proposta, o clube não colocaria obstáculos.

Para o setor ofensivo, além de Nenê, Odair terá como opções Ganso, que teve de cumprir suspensão contra a Cabofriense, Pablo Dyego, Marcos Paulo, Evanilson, e os reforços Caio Paulista, Felippe Cardoso, o peruano Fernando Pacheco e o uruguaio Michel Araújo.

Após a partida, Nenê ressaltou a importância da mescla entre jogadores jovens e experientes no elenco.

"Acho que não adianta ter só jogadores jovens ou jogadores experientes. Tem de ter uma mescla, sabendo aproveitar isso. A gente pode usar a velocidade e a intensidade dos jovens na hora necessária e, na hora que precisar segurar mais a bola, ficar mais, tem os mais experientes. Essa mescla vai ter bastante importante para a gente", disse.

Fluminense