PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Facincani diz que Palmeiras 'não tem moral' com treinadores e irrita colega

facincani-palmeiras - Reprodução
facincani-palmeiras Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/01/2020 15h20

A negociação frustrada do Palmeiras com Jorge Sampaoli no fim do ano passado elevou os ânimos do Fox Sports Rádio desta terça-feira. Debatendo os motivos que levaram as partes a não chegarem a um acordo, Felippe Facincani irritou o apresentador Osvaldo Pascoal ao afirmar que o alviverde' não tem moral' com treinadores, iniciando uma discussão.

Incomodado com o uso da palavra "moral", Pascoal defendeu que o problema dos clubes brasileiros, na verdade, está relacionado à diretriz. Já Facinani, recordando as trocas no comando técnico do Palmeiras nos últimos anos, pediu respeito à sua opinião.

"O Palmeiras, hoje, não tem moral para querer falar com técnico algum", afirmou Facincani.

"Como o Palmeiras não tem moral? Claro que tem! De onde você tirou isso?", questionou Pascoal, visivelmente irritado.

"Eu estou tirando da minha opinião", respondeu Felippe.

"O Palmeiras tem muita moral. De onde que você tirou isso? Você não pode falar isso!", repreendeu o apresentador.

"Eu posso! É o time que mais demite técnico num passado recente. O Palmeiras teve nove técnicos em cinco anos", recordou Facincani.

"Pode ter 14! Você vai dizer isso do São Paulo? Que o São Paulo não tem moral?", retrucou Osvaldo.

"Hoje também não tem", completou Felippe.

"Claro que tem! O clube tem moral, o que não tem é diretriz. Não tem diretriz. Moral, tem. Que palavra é essa? De onde que você tira essa palavra?", seguiu Pascoal.

"Eu estou tirando da minha análise e da minha percepção, e o senhor vai respeitar", exigiu Felippe.

"Diretriz! Não é moral. Não pode dizer que um clube não tem moral. Os clubes têm moral, o que não têm é diretriz", insistiu o apresentador.

"98% dos clubes do Brasil não têm moral para ficar falando de técnico, porque eles pensam uma coisa e depois de três meses, fazem outra", argumentou Facincani.

"Você pode usar a palavra que quiser, a mim, você não vai convencer", alertou Pascoal.

"Vou falar a palavra que eu quero", reiterou o comentarista.

"Como é que um clube não tem moral? O clube tem moral. O que não tem moral é o time que fica devendo cinco meses de salário. Aí não tem moral de cobrar o jogador. (...) Um clube como o Palmeiras...Você está de brincadeira. Mandou quatro contratos para o cara (Sampaoli), o cara faz quatro exigências diferentes... Chega uma hora que você fala que não quer mais", concluiu Pascoal, voltando a discussão, de forma mais tranquila, para a falta de acordo entre Palmeiras e Sampaoli.

UOL Esporte vê TV