PUBLICIDADE
Topo

Bruno Alves: "São Paulo tem camisa muito pesada para ficar sem títulos"

Zagueiro do São Paulo vai completar 100 jogos pelo clube na primeira rodada do Campeonato Paulista - Rubens Chiri/saopaulofc.net
Zagueiro do São Paulo vai completar 100 jogos pelo clube na primeira rodada do Campeonato Paulista Imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

21/01/2020 16h08

Classificação e Jogos

Amanhã (22), o São Paulo estreia no Campeonato Paulista diante do Água Santa, no Morumbi, às 21h30. O encontro vai marcar o centésimo jogo de Bruno Alves pelo Tricolor. O zagueiro foi contratado em 2017, após deixar o Figueirense, e de desconhecido passou a um dos principais líderes do elenco. Mas para tornar seu sonho de jogar pelo clube mais especial ele ainda quer ser campeão.

Prova disso foi a entrevista coletiva que ele concedeu na tarde de hoje no CT da Barra Funda. A maioria das respostas terminou com um lembrete sobre como São Paulo precisa voltar a brigar por títulos. A última conquista foi em 2012, na Copa Sul-Americana. Já o último troféu do Paulistão veio em 2005: "O São Paulo tem uma camisa muito pesada para ficar tantos anos sem títulos".

Bruno deu algumas receitas de como superar a irregularidade dos últimos tempos e ser mais competitivo em 2020. Intensidade nos jogos, união entre elenco, comissão técnica e diretoria e menos lesões. Segundo ele, o São Paulo já dá mostras de que poderá evoluir em todos esses quesitos. Isso pode ser resumido, para o zagueiro, na figura de Fernando Diniz.

"A oscilação nos atrapalhou muito ano passado e a gente não conseguia colocar a intensidade que ele pedia. Não podemos mais confundir ter posse com ser moroso com a bola. Temos que ser mais agressivos para buscar o gol. Na pré-temporada a gente se cobrou muito para melhorar nossos problemas. O Diniz também cobrou ao extremo, mas nos abraçou. Ele vai recuperar cada jogador. Estamos todos fechados. Precisamos disso para brigar por títulos", avisou.

A pré-temporada também foi elogiada em comparação ao trabalho de preparação feito em 2019. De acordo com Bruno, a carga de treinos do ano passado foi insuficiente para o time atingir um nível físico melhor em campo e ainda acarretou em diversas lesões que atrapalharam o entrosamento do time, principalmente do ataque. Agora, aposta que o setor ofensivo poderá se recuperar.

"Perdemos muitos jogadores importantes, em alguns casos que não podiam ser previstos, como o joelho do Everton, a coluna do Pablo. Mas casos como Hernanes e Pato, que agora estão melhores. O Pato mesmo está motivado, se dedicando muito, treinou nas férias. Ele é realmente diferenciado e vai fazer um grande ano. Eles vão decidir jogos. O São Paulo entra forte", analisou.

Sonho no São Paulo e filhos no Morumbi

Bruno Alves diz que realiza "um sonho todos os dias por estar no São Paulo". O zagueiro faz questão de compartilhar esses momentos com a família e representa isso quando leva o filho Henry para os jogos do time no Morumbi. Havia até uma superstição de que o Tricolor nunca perdia com o menino em campo. Ele agora espera a filha Helena, recém-nascida, ter condições para ir ao estádio e explica a tradição que cativou torcedores do clube.

"Eu gosto bastante de fazer isso. Mesmo se tivesse outra profissão ia levá-los para entender de onde vem o sustento de casa, para saber porque o pai sai de casa todos os dias. Só não vou levar a Helena ainda porque o jogo de amanhã é tarde, ela está em uma rotina certinha de sono e eu arrumaria briga em casa (risos)", brincou.

São Paulo