PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Corinthians de Tiago Nunes tem cobrança forte até para Cássio: jogo com pés

Cassio, durante treino do Corinthians nos Estados Unidos, onde o Timão disputou a Flórida Cup, em Orlando - Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Cassio, durante treino do Corinthians nos Estados Unidos, onde o Timão disputou a Flórida Cup, em Orlando Imagem: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

20/01/2020 04h00

O goleiro Cássio nunca treinou tanto o jogo com os pés como vem fazendo na 'era Tiago Nunes' que se inicia no Corinthians. Não há um dia sequer de treinamento que o ídolo corintiano não seja submetido a treinos específicos com os pés —controle e domínio de bola e, principalmente, saída de jogo. O torcedor já pôde notar um Cássio bem mais participativo com os pés na Florida Cup, contra New York City (EUA) e Atletico Nacional (COL).

O novo comandante prioriza a armação de jogadas de sua equipe no campo defensivo e, inclusive, desde o goleiro. Ele não gosta de chutões para a frente. Em sua apresentação, o treinador explicou de forma descontraída porque não abre mão deste fundamento. "Eu tive um treinador que dizia que a bola era uma granada que tinha que estourar no campo do adversário".

Após arrancar gargalhadas com a frase, Tiago Nunes que explicou que hoje, como técnico, quer fazer exatamente o que não podia quando era zagueiro no passado: iniciar a armação do time do sistema defensivo. E, para isso, o goleiro e os zagueiros precisam ter boa qualidade técnica.

Cássio encara a nova fase de treinamentos em sua carreira como bons olhos. O goleiro reconhece que nunca havia treinado tanto o aprimoramento de jogadas com os pés, mas que entende que serve para a sua evolução.

"O professor Tiago chegou com uma ideia e trabalho muito boa. Leva tempo, mas é o dia a dia para pegarmos. O jogador que não almeja evoluir não cresce, é uma coisa nova. Eu vinha trabalhando, mas não com essa intensidade. Ele conversa bastante comigo, vamos trabalhar", afirmou Cássio.

Quando Cássio diz que vinha trabalhado ele se refere a reta final do Campeonato Brasileiro. Após a demissão de Fábio Carille, o técnico interino Dyego Coelho e o auxiliar-técnico Mauro da Silva iniciaram o processo de aperfeiçoamento de Cássio jogando com os pés.

Aliás, segundo Footstats, Cássio já havia dobrado o número de passes sob o comando de Coelho. Com Fábio Carille, o goleiro somou 273 passes em 26 jogos [10,5 passes por jogo]. Já com o interino, Cássio passou 95 vezes em cinco jogos [19 passes por jogo]. A comissão técnica de Coelho iniciou a readaptação nos últimos sete jogos do Brasileiro pois já sabia da exigência de Tiago Nunes.

Com Carille e companhia, Cássio foi 'doutrinado' nos últimos anos a fazer reposições de bola com chutões para o campo do adversário, buscando a chamada 'casquinha' do centroavante no ataque. Em 2017, aliás, este tipo de jogada funcionava quando Jô atuava no comando do ataque. Tiago Nunes pretende intensificar o treinamento para tirar o 'vício' do goleiro.

Futebol