PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Nunes se diz "chateado" com Petraglia pela forma como saiu do Athletico-PR

Tiago Nunes, durante a partida entre Corinthians e New York City - Rafael Ribeiro/Divulgação
Tiago Nunes, durante a partida entre Corinthians e New York City Imagem: Rafael Ribeiro/Divulgação

DO UOL, em São Paulo

19/01/2020 14h48

O técnico do Corinthians, Tiago Nunes, afirmou ter ficado "chateado" com o presidente do Athletico-PR, Mario Celso Petraglia, pela forma como deixou o clube no ano passado. Campeão da Copa do Brasil com o clube paranense, o treinador acabou não renovando o contrato e aceitando o convite para comandar o Corinthians em 2020. Por esse motivo, ele não terminou o ano de 2019 à frente do Furacão.

Em entrevista ao "Esporte Espetacular", da "TV Globo", Nunes afirmou ter criado um "vínculo de amor com o Athletico-PR" —pelo qual foi conquistou quatro títulos, sendo um estadual, a Copa Sul-Americana, a Copa Suruga e a Copa do Brasil. Destacou, no entanto, que ficou magoado com uma nota oficial emitida pelo clube logo após a confirmação de que havia aceitado a oferta do Corinthias.

O texto da nota insinuava que o técnico não tinha gratidão pelo Athletico-PR.

"Fiquei bem chateado. Criei um vínculo de amor com o Athletico-PR, principalmente com o torcedor e muitos colaboradores. Tenho uma gratidão genuína, gratidão pelo torcedor que me colocou como treinador, e deixamos um legado muito bonito lá. Sempre fui verdadeiro com o clube nas minhas ações."

Sem citá-lo nominalmente, Nunes criticou o presidente Mario Celso Petraglia pela forma como deixou o clube.

"Fiquei chateado com a nota que foi emitida, mas não esperava nada diferente do presidente do Conselho, até porque é algo que já é histórico."

O treinador também comentou na entrevista ao "Globo Esporte" o início de trabalho no Corinthians. Ele revelou que, antes de assumir, deu uma "estudada boa" na história do clube paulista.

"Dei uma estudada boa na história do Corinthians, desde sua fundação até as principais conquistas, os principais movimentos sociais que construíram essa trajetória. Entender um pouco do DNA corintiano. Vi de cabo a rabo os principais jogos, para me conectar com o clube."

"Quis chegar aqui entendendo um pouco do que o torcedor quer, do que o torcedor gosta. Para tentar ser esse cara que vai colaborar com a construção da história do clube. Não chegar aqui fora do ar, tentando fazer algo que não combine com o que o clube Corinthians construiu até esse momento."

Futebol