PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro vive escassez de volantes, e antigo setor de luxo só tem um garoto

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

15/01/2020 04h00

Quem acompanhou o plantel do Cruzeiro pelo menos nos últimos dois anos viu que o time não teve dor de cabeça sobre os volantes à disposição no elenco. Mas, agora, o setor virou mais um dos problemas de Adilson Batista. Precisando recorrer à base para completar os treinos na Toca da Raposa, o treinador só tem um nome garantido até o momento na posição: o do garoto Adriano, que ainda sequer estreou como profissional.

Até o ano passado, pelo menos quatro jogadores se revezavam no meio-campo do Cruzeiro. A disputa foi grande tanto com Mano Menezes quanto com os seus sucessores. Ariel Cabral já foi peça intocável ao lado do ex-capitão Henrique, mas depois perdeu espaço para Lucas Silva, hoje no Grêmio.

Frequentemente utilizado na lateral, Lucas Romero agradou não só pelos lados, como pediu passagem para ganhar espaço também à frente da zaga. Na ausência de todos eles, ainda havia a presença de Jadson no banco de reservas, além de Robinho, que também era uma opção para o setor. A partir do segundo semestre de 2019, o início das saídas abriram as oportunidades para Éderson surgir como grata surpresa e fincar raízes no time.

Dos sete nomes citados, quatro já foram embora. Dos que restam, Robinho está lesionado e só voltará, ao menos, a partir de abril, enquanto Éderson levou o Cruzeiro na Justiça e não deve permanecer. O último e provável único remanescente é Ariel Cabral, que ainda negocia seu futuro no clube. Por enquanto, Adilson Batista vai tocando os treinamentos com a presença de Adriano, garoto de 20 anos que é o único já garantido para a temporada.

Por causa da falta de opções, o Cruzeiro deve buscar novas alternativas em duas frentes: utilizando os jogadores da base e contratando. A primeira pode ser preenchida com o jovem Jadson, que hoje disputa a Copa São Paulo. A segunda pode vir negociando peças que já estão com a saída encaminhada da Toca, como o lateral Orejuela. O colombiano será repassado para outro clube com o intuito de ganhar mais vitrine e valorizar ainda mais.

A tendência é que esse clube seja o Palmeiras, e o volante Jean, fora dos planos do técnico Luxemburgo, pode ser envolvido na transação. Outra saída do Cruzeiro foi tentar nomes menos conhecidos. Nos últimos dias, a diretoria sondou o volante Foguinho, que jogou a Série B com o Criciúma. Porém, apesar de rebaixado para a terceira divisão, o time catarinense trata o jogador como inegociável.

Cruzeiro