PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo vê Helinho mais forte e Diniz empolgado para recuperar garoto

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

14/01/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Helinho voltou mais forte das férias e em relação a 2019
  • Meia-atacante tem se destacado nos treinos em Cotia
  • São Paulo confia na técnica, mas se preocupa com a cabeça do garoto
  • Fernando Diniz está empolgado em devolver a confiança a Helinho
  • Jovem também começou como titular no ano passado, mas foi mal
Classificação e Jogos

Pelo segundo ano consecutivo, Helinho deve começar como titular do São Paulo. A diferença é que agora há bem menos pressa e responsabilidade sobre o garoto nascido em 2000 e criado em Cotia. E é por isso que o técnico Fernando Diniz e a diretoria do clube confiam que o meia-atacante, enfim, poderá engrenar no profissional.

A primeira razão para essa confiança ficou à mostra nos treinos no CFA Laudo Natel. Helinho voltou das férias bem mais forte do que no ano passado. Uma estimativa fala em 4kg a mais de massa magra para o jovem, que também mudou a forma de encarar as atividades. Está mais ativo, mais intenso e, muito pelo ganho de força, mais preparado para disputas de corpo a corpo.

Helinho também tem chamado a atenção pelo índice de acertos nas finalizações. Esse sempre foi um ponto positivo a seu favor na base, mas no profissional ele tem somente um gol em 25 partidas, aquele golaço no ângulo logo em sua estreia pelo time principal contra o Flamengo, em 2018. O lance, aliás, pode explicar um pouco da irregularidade da promessa.

Helinho em treino em Cotia - Rubens Chiri/saopaulofc.net - Rubens Chiri/saopaulofc.net
Imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Ao longo do ano passado, em treinos e jogos, Helinho insistiu demais em tentativas de outros golaços. O que poderia ser reflexo de confiança ou coragem passou a ser uma dificuldade para ler as jogadas e escolher a melhor forma de definir. Nem sempre seria possível ter espaço e equilíbrio para finalizar como aconteceu contra o Flamengo, ainda sob o comando de Diego Aguirre.

A versão de 2020 de Helinho, ainda que sem a temporada começar de fato, apresenta mais objetividade. O garoto está chutando, firme como sempre, mas de forma mais rápida, prática. E isso tem se convertido em gols. Foi assim no jogo-treino contra a Caldense, no último domingo, com um tento de cabeça e outro de pé direito, mesmo sendo canhoto. Ontem, novamente se destacou com gols e variação no tipo de finalizações.

Os jogadores mais velhos estão cada vez mais dando palavras de apoio a Helinho, que tem tudo para seguir como titular até a volta de Antony da seleção brasileira olímpica. E Fernando Diniz sabe que vai precisar de toda ajuda possível para manter a cabeça do jovem mais concentrada e confiante para esta temporada.

O técnico tem reconhecido trabalho psicossocial e acredita que essa sua especialidade pode fazer a diferença no processo de recuperação de Helinho. Na base, o camisa 11 chegou a ser mais badalado e confiável do que o próprio Antony, que por sua vez deu passos muito maiores e certeiros no profissional justamente por ter mais atitude e personalidade.

As curvas dos dois se inverteram bruscamente em 2019. Helinho saiu de titular na Copa Libertadores da América a reserva pouco utilizado e pouco eficiente. Antony saiu de "rebaixado" ao sub-20 para ser referência e xodó da torcida no time principal.

Diniz já mostrou desejo de recuperar Helinho desde que chegou ao São Paulo. Passou a dar mais chances a ele na reta final do Campeonato Brasileiro e tem o deixado à vontade no time titular na pré-temporada em Cotia. O técnico para e conversa com o pupilo quantas vezes for necessário dentro de um treino e ao longo do dia no CFA e acredita que esse trabalho dará resultado.

São Paulo