PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Eles fizeram sucesso no futebol e se aventuraram em empregos inusitados

Tim Wiese, ex-goleiro da seleção alemã, hoje é lutador de luta livre - WWE/Divulgação
Tim Wiese, ex-goleiro da seleção alemã, hoje é lutador de luta livre Imagem: WWE/Divulgação

Do UOL, em São Paulo

14/01/2020 04h00

A história do ex-atacante e maior artilheiro da seleção turca Hakan Sukur, que hoje trabalha como motorista de Uber nos Estados Unidos, após sair de seu país acusando uma perseguição política do presidente Recep Tayyip Erdogan, chamou atenção do mundo nos últimos dias. Mas o autor do gol mais rápido da história das Copas do Mundo — contra a Coreia do Sul, em 2002 — não é o único ex-jogador que se aventurou em uma atividade inusitada depois de se aposentar do futebol profissional.

Desde estrela da luta livre até fabricante de camisinhas, muitos outros futebolistas se arriscaram por profissões ou empreendimentos diferentes, pelas mais variadas razões. Confira alguns exemplos a seguir.

Andrea Pirlo - dono de vinícola

Divulgação
Imagem: Divulgação

Um dos jogadores mais elegantes de sua geração, o meio-campista italiano parou de jogar em 2017 e, hoje, pode se dedicar exclusivamente à sua vinícola em Brescia. O local é gerido pelo ex-jogador há mais de uma década e produz de 15 a 20 mil garrafas por ano.

Tim Wiese - lutador de luta livre

AFP PHOTO / CHRISTOF STACHE
Imagem: AFP PHOTO / CHRISTOF STACHE

Ex-goleiro da seleção alemã, que fez parte do elenco da Copa do Mundo de 2010, Wiese se aposentou dos gramados em 2014, mas não deixou de ser atleta. O ex-jogador de Werder Bremen, Hoffenheim e outros clubes ganhou massa muscular e virou um lutador de luta livre profissional, eventualmente sendo contratado pela WWE, a principal empresa do ramo no mundo, em 2016.

Thomas Gravesen - jogador de pôquer

David Klein/Reuters
Imagem: David Klein/Reuters

Gravesen ficou conhecido nos tempos de Real Madrid por ser um volante "casca grossa", que jogava duro. Mas depois de parar de jogar, em 2008, ele mostrou que também sabia usar a sutileza: virou um jogador de pôquer profissional, morou por uma década em Las Vegas, fez fortuna e depois voltou à sua terra natal, a Dinamarca, para curtir seus milhões.

José Manuel Pinto - produtor musical

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Já quando era goleiro reserva do Barcelona, o espanhol Pinto já fazia seus "bicos" como músico e produtor, trabalhando principalmente com artistas de hip-hop. Esse virou seu trabalho oficial após sua aposentadoria dos campos, em 2014. Ele até já lançou suas próprias músicas, com o nome artístico Wahin.

Victor Valdés - criador de um app de paquera

Clive Mason/Getty Images
Imagem: Clive Mason/Getty Images

Outro ex-goleiro do Barça na lista: Valdés, que se aposentou em 2017 no Middlesbrough, lançou um aplicativo de paqueras ao melhor estilo Tinder na Espanha. O programa, chamado de "Hola Dating", foi divulgado pelo próprio Twitter do atleta e foi desenvolvido por uma universidade de Barcelona.

Asprilla - fabricante de camisinhas

Divulgação
Imagem: Divulgação

Ex-jogador do Palmeiras e ídolo do futebol colombiano nos anos 90, Faustino Asprilla aproveitou a fama de atleta folclórico que criou ao longo da carreira para criar sua própria linha de camisinhas depois de parar de jogar. A "Condones Tino" foi lançada em 2016 em iniciativa conjunta com a multinacional CS Pharma.

Bixente Lizarazu - lutador de jiu-jitsu

Reprodução
Imagem: Reprodução

Lateral esquerdo titular da seleção da França que foi campeã da Copa do Mundo de 1998, Bixente Lizarazu foi outro que mudou de esporte após parar de jogar futebol em 2006. Apenas três anos depois de se aposentar, ele já foi campeão europeu de jiu-jitsu na faixa azul.

Futebol