PUBLICIDADE
Topo

Novo CT do Bahia terá hotel em que torcedor poderá usar quarto do ídolo

Quartos do Hotel do Futebol, do Bahia, localizado dentro da Cidade Tricolor - Divulgação
Quartos do Hotel do Futebol, do Bahia, localizado dentro da Cidade Tricolor Imagem: Divulgação

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

10/01/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Cidade Tricolor, novo CT do Bahia, contará com o Hotel do Futebol
  • Hotel hospedará não só jogadores, mas também 'pessoas comuns'
  • Torcedores poderão ficar no mesmo quarto de seus ídolos, por exemplo

O Bahia inaugura amanhã (11) o seu mais novo CT, popularmente conhecido como Cidade Tricolor e oficialmente chamado de Centro de Treinamento Evaristo de Macedo, uma homenagem ao técnico campeão brasileiro pelo clube em 1988. Localizada entre os municípios de Dias D'Ávila e Camaçari, a cerca de 60 km da Arena Fonte Nova, a nova casa tricolor, porém, não 'pertencerá' apenas a jogadores, diretoria, comissão técnica e funcionários, como é de costume nos centros de treinamento. Ela contará com um hotel, chamado Hotel do Futebol, que hospedará não só o elenco, mas também torcedores que queiram passar uns dias por lá.

A hospedagem estará liberada para 'pessoas comuns', claro, apenas quando o Bahia não estiver por lá concentrado ou entre períodos de treinamento. Quando o time jogar fora de casa no fim de semana, por exemplo, o hotel estará à disposição de grupos que queiram viver a experiência de passar um período no mesmo lugar em que os jogadores treinam, almoçam, jantam, dormem... Isso mesmo. Os quartos destinados aos atletas estarão à disposição do torcedor.

"Por exemplo: grupos que, ao invés de comemorar o aniversário numa casa de festa, queiram levar dez amigos para se hospedar no Hotel do Futebol e passar de sexta a domingo com atividades, jogando bola, treinando como eles treinam, no campo que eles treinam, almoçando no refeitório que eles almoçam, dormindo no quarto de um jogador... Quarto de Gregore, de Gilberto... Estará na placa: 'Esse é o quarto de Gilberto', e o jovem vai estar dormindo na cama que eles dormem. Ele vai ligar a televisão e vai ter um vídeo de Gilberto falando: 'Esse é meu quarto, cuide bem dele, deixe tudo arrumado na saída porque daqui a pouco estou de volta'", explica Guilherme Bellintani, presidente do Bahia, em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

"Mistura o lúdico do futebol com essa coisa de os meninos terem um aniversário diferente, por exemplo. E isso também vai poder ser utilizado pelo Brasil inteiro, principalmente, nas férias escolares. Pessoas e grupos do Brasil inteiro podem se hospedar, sete dias, por exemplo, e viver o dia a dia de um time de futebol", acrescenta o mandatário tricolor.

Divulgação
Imagem: Divulgação

De acordo com Guilherme Bellintani, a ideia de abrir o hotel dos jogadores às pessoas comuns surgiu durante a construção da Cidade Tricolor, uma vez que foi constatado que o espaço estaria livre — ou seja, sem o elenco presente — durante boa parte do tempo.

"Quando isso foi ficando pronto, vimos que a ocupação daria 3 ou 4% só, 5 no máximo. É só em concentração ou momentos em que se trabalha, por exemplo, num turno manhã e tarde, e no intervalo eles descansam no quarto. Então, a gente montou uma estrutura de hotelaria muito boa, mas com pouca intensidade de ocupação. E, por outro lado, pegamos experiências de torcedores que querem viver uma experiência do dia a dia de um clube de futebol, viver o dia de um jogador, onde ele treina, joga, come, se hospeda, e também pegamos experiências de acampamentos juvenis, que tem muito pelo Brasil", conta o presidente.

"Você passa uma semana com jovens de 10 a 15 anos com atividades de gincana, essa coisa toda. Então, a gente misturou isso tudo, e o Hotel do Futebol vai ter essa característica de hospedagem de curto e médio prazo. Final de semana, por exemplo, sexta a domingo, quando o time está viajando e nossa hotelaria está livre, vamos abrir para grupos se hospedarem", diz.

4 estrelas: "nada exagerado"

O hotel da Cidade Tricolor, apontado como 4 estrelas pelo Bahia, contará com 57 quartos, sendo 27 para o profissional — 26 duplos e 1 individual — e 30 para as categorias de base, todos eles quádruplos. O clube ainda fez questão de se preocupar com alguns detalhes: haverá medidas permanentes para redução de consumo de energia elétrica e água e uma área útil dentro do quarto, além de climatização, serviço de lavanderia, TV por assinatura e acesso à internet em praticamente todas as áreas do hotel. Mas tudo muito simples, sem exagero.

"A gente precisava dar aos jogadores uma qualidade de hospedagem boa, mas nada exagerado porque faz parte da política do clube. A ideia era fazer uma coisa confortável, mas que ele [jogador] entenda que não somos um clube rico...", ressalta o presidente tricolor.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Quem pode se hospedar?

O Bahia divulgará mais detalhes do Hotel do Futebol no fim de janeiro. A princípio, a hospedagem será destinada, especialmente, a grupos de pelo menos 20 pessoas. Mais para frente, uma família de três pessoas, por exemplo, também estará apta a desfrutar do local.

"Por enquanto, só grupos. A gente vai abrir período para hospedagens específicas, mas vai ser condicionada a fechar um grupo. Por exemplo, primeiro fim de semana de fevereiro, vamos abrir 40 vagas, mas no mínimo tem que ter 20 pessoas. Se tiverem hospedagens muito isoladas, o custo começa a não valer a pena. As hospedagens são em grupos. Individualizadas, não. Mas vai poder. Se você tem dois filhos e quer vir com eles, a gente vai abrir essa possibilidade. Mas ela está condicionada a formar o grupo. Vamos divulgar isso tudo no fim de janeiro", completa.

Os sócios do Bahia que estiverem em dia terão descontos na hospedagem, mas todos serão bem-vindos no hotel. Até mesmo torcedores dos times rivais.

Bahia