PUBLICIDADE
Topo

Apresentado, Musto encara desafio de honrar 'história argentina' no Inter

Damián Musto participa de apresentação com a camisa do Internacional - Marinho Saldanha/UOL
Damián Musto participa de apresentação com a camisa do Internacional Imagem: Marinho Saldanha/UOL

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

10/01/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Apresentado pelo Inter, Damián Musto busca honrar história de argentinos recentemente no clube.
  • D'Alessandro e Guiñazu são ídolos da torcida colorada.
  • No elenco, além do técnico Coudet, Sarrafiore e Cuesta também contam com apreço dos aficionados.

Apresentado pelo Inter na manhã de ontem (9), Damián Musto não carrega apenas a expectativa da torcida, o apreço da comissão técnica ou a confiança da direção. Sobre os ombros do volante de 32 anos também está o desafio de honrar a história argentina recente no Colorado.

O principal ídolo do elenco é compatriota do marcador que foi emprestado pelo Huesca, da Espanha, por uma temporada com cláusula de compra ao fim do vínculo. D'Alessandro está entre os jogadores que mais atuaram com a camisa vermelha na história.

Mas jogar nunca foi o suficiente para ele. O armador conquistou títulos relevantes como Libertadores, Sul-Americana, Recopa, uma série de Estaduais, além de prêmios individuais como melhor jogador do continente e um dos melhores do país. Capitão do time por diversos anos, ele carrega o respeito e a paixão dos torcedores.

Mas não é apenas D'Ale que honrou a bandeira da Argentina no Inter. Pablo Guiñazu fez história conquistando títulos semelhantes. Com a garra e a força que sempre o caracterizaram em campo, foi homenageado em Porto Alegre no início deste ano antes de a bola rolar no Lance de Craque, amistoso beneficente promovido por D'Ale, e teve todo o carinho que um ídolo merece receber.

"[D'Ale e Guiñazu] São dois jogadores que a trajetória diz o que foram através dos anos. Manter-se vigentes há tanto tempo e em tão alto nível, com fome de vitórias, de querer ganhar, não se conformar com a derrota, é prova disso. Poderiam estar em casa com a família e os filhos por mais tempo, e escolheram estar aqui. O Cholo [Guiñazu] em seu momento, o Andrés [D'Alessandro] agora. Eles têm que ser exemplo. Eu venho marcar meu caminho aqui, não me comparo a nenhum deles, mas acredito que são exemplo aos mais jovens", disse Musto durante a sua apresentação.

"Eu cheguei aqui há dois dias, e o Andrés [D'Alessandro] é sempre o primeiro a chegar nos treinamentos. Isso não é casualidade. Os meninos têm de tratar de copiar este tipo de jogador. Não é casualidade tudo que ocorre com eles. Seguiram jogando, somando, em alto nível. Pessoalmente, eu sou muito parecido neste sentido. Trato de poder deixar algo aos companheiros, sempre trato de dar algo no dia a dia, trabalhar com alegria, ser exemplo aos mais jovens", acrescentou.

No elenco atual ainda há dois exemplos de sucesso. Victor Cuesta conquistou rapidamente posto no coração da torcida. Já foi eleito melhor zagueiro do Brasileirão em 2018, participou da campanha de retorno do clube à Série A e cavou seu espaço entre os principais atletas do elenco.

Já Martín Sarrafiore carrega a esperança de mostrar seu melhor futebol a partir de mais oportunidades nesta temporada. Ele é repetidamente pedido pelos torcedores no time.

O comando do time na temporada 2020 também será de um argentino. Eduardo Coudet foi celebrado pelos aficionados na perspectiva de deixar o time mais intenso, ofensivo e atingir os esperados títulos.

E não são apenas eles, outros argentinos também atuaram no clube com algum sucesso. Pato Abbondanzieri, Cavenaghi, Dátolo, Lisandro López, Ameli e Bolatti são exemplos disso.

Mas nem todo compatriota de Maradona e Messi desempenham o melhor no Colorado. Martin Luque, Ariel e Scocco, por exemplo, pouca saudade deixaram.

O Inter mantém rotina de dois turnos de treinamentos ao longo da pré-temporada. Musto está integrado ao grupo que trabalha de olho nas competições da temporada 2020.

Internacional