PUBLICIDADE
Topo

Tirar da China é viável no mercado da bola? Veja brasileiros que jogam lá

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

04/01/2020 04h00

Entre os mercados emergentes, a China é, de longe, o país que mais se destacou em termos de contratações nos últimos anos. Jogadores importantes foram retirados das ligas europeias e também do Campeonato Brasileiro. Mas, afinal de contas, é possível buscar jogadores de lá para reforçar sua equipe por aqui no mercado da bola?

Os casos recentes de Alexandre Pato e Hernanes, no São Paulo, e Ramires, no Palmeiras, por exemplo, provam que sim. A dúvida passa, então, a ser: vale a pena o investimento?

Em conteúdo exclusivo produzido pelo UOL Esporte recentemente, fisiologistas, preparadores físicos, empresários e agentes em geral do mundo da bola alertaram sobre os riscos que um futebol que ainda engatinha em outros setores pode causar a curto e médio prazo, principalmente em relação às lesões, fruto de uma estrutura ainda não tão apropriada para prevenção.

Mudanças nas regras vão influenciar mercado

Em dezembro, a federação chinesa comunicou mudanças importantes na regra que passarão a valer já a partir de janeiro de 2020 e que poderão impactar diretamente no mercado.

Ela aumentou o limite de estrangeiros para seis por equipe, sendo que é permitido relacionar cinco por partida com até quatro podendo jogar simultaneamente no time. Até o ano passado a permissão era de até três simultâneos.

Outra questão é o teto salarial para estrangeiros de cerca de R$ 13,5 milhões anuais, o que pode afastar as chamadas "estrelas".

Um teto também foi estabelecido aos clubes de 1,1 bilhão de yuans por ano, sendo que a folha não pode ultrapassar 60% do orçamento.

Veja a lista de brasileiros

Abaixo a reportagem listou os principais jogadores brasileiros que estão na China e suas respectivas situações contratuais e técnicas. Alguns nomes conhecidos, como Hulk, Alan Kardec, Alex Teixeira e Paulinho, por exemplo, já acenaram com o desejo de atuar por clubes brasileiros. Confira:

Hulk

Color China Photo via AP
Imagem: Color China Photo via AP

Após ter sua vida particular bastante exposta na mídia brasileira no fim de 2019, ao cair no conhecimento popular o fim de seu casamento e o início de namoro com a sobrinha de sua ex-esposa, Hulk volta à China para, teoricamente, cumprir mais seis meses de contrato com o Shanghai SIPG. Aos 33 anos, o atacante tem o desejo de encerrar a carreira no Brasil, de preferência no Palmeiras, mas seu salário astronômico ainda é um impeditivo. Para retornar, terá que abrir mão de muita coisa.

Renato Augusto

Com experiência em Copa do Mundo e passagens marcantes por Corinthians e Flamengo, Renato Augusto é sempre um nome comentado nas janelas de transferências com uma expectativa de que retorne ao Brasil. Eleito o melhor jogador do Campeonato Brasileiro de 2015, o meia de 31 anos, porém, ainda possui um longo contrato com o Beijing Guoan até dezembro de 2021 e se encontra adaptado ao país asiático, onde vive desde 2016. A tendência é de que sua volta aconteça somente após o fim do vínculo.

Paulinho

Liga Chinesa
Imagem: Liga Chinesa

Outro ídolo da torcida corintiana, o volante Paulinho, de 31 anos, já declarou que, se retornar ao Brasil, dará prioridade ao clube. Porém, assim como Renato Augusto, o jogador também possui um longo contrato. Seu vínculo com o Guangzhou Evergrande vai até o fim de 2023, algo que dificulta a volta agora. Com boas atuações, ele sagrou-se campeão chinês em 2019.

Alan Kardec

Divulgação
Imagem: Divulgação

Ex-jogador de Vasco, São Paulo, Internacional e Santos, Alan Kardec já está há três anos na China e é sempre cobiçado por clubes brasileiros. O atacante de 30 anos tem contrato com o Chongqing Dangdai até o fim de 2020 e tem o desejo de encerrar a carreira no Cruz-Maltino, clube que o revelou.

Alex Teixeira

Divulgação
Imagem: Divulgação

Assim como Alan Kardec, também foi revelado no Vasco e tem o desejo de "voltar para casa". Os dois, inclusive, são amigos e, junto com o volante Souza (Al Ahli-ARA), já revelaram um pacto para retornar a São Januário. Alex Teixeira, porém, também desperta o interesse do Corinthians, que quase já o contratou por empréstimo em outra ocasião. Seu contrato com o Jiangsu Suning é até o fim de 2020.

Oscar

Masashi Hara/Getty Images
Imagem: Masashi Hara/Getty Images

Consolidado como um dos maiores "garçons" na China atuando pelo Shanghai SIPG, Oscar vive boa fase no futebol local e tornou-se campeão da Supercopa. Com contrato até dezembro de 2020, a princípio tem o desejo de cumpri-lo, e o objetivo, por enquanto, é o de retornar à seleção brasileira, onde sua última participação foi na Copa do Mundo de 2014.

Talisca

STR/AFP
Imagem: STR/AFP

O baiano Talisca foi outro que se sagrou campeão chinês pelo Guangzhou Evergrande. Em junho, ele esteve no Bahia para se recuperar de uma lesão e agitou a torcida tricolor, esperançosa de um retorno do prata da casa. O próprio meia-atacante, porém, utilizou seu Instagram para deixar claro que não existia tal possibilidade. Ele tem contrato até junho de 2022 com o clube chinês.

Miranda

Pedro Martins / MoWA Press
Imagem: Pedro Martins / MoWA Press

O zagueiro Miranda, ex-São Paulo, desembarcou na China em julho de 2019 para assinar com o Jiangsu Suning após rescindir com a Inter de Milão (ITA). Aos 35 anos, ele tem contrato até julho de 2021 e, em seguida, deverá retornar ao Brasil, com o Tricolor Paulista sendo uma boa possibilidade.

Roger Guedes

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Há um ano e meio no futebol chinês, o ex-jogador de Atlético-MG e Palmeiras teve um início difícil no Shandong Luneng, com poucos jogos e sequência, mas depois se adaptou e teve mais oportunidades. Ele tem contrato até julho de 2022.

Moisés

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Vendido pelo Palmeiras em julho de 2019 por cerca de R$ 21 milhões, o meia Moisés é companheiro de clube de Roger Guedes no Shandong Luneng, onde tem contrato até julho de 2022.

Aloísio Boi Bandido

Hebei China Fortune FC/Osport/Divulgação
Imagem: Hebei China Fortune FC/Osport/Divulgação

O ex-atacante do São Paulo foi contratado no meio de 2019 pelo Guangzhou Evergrande, mas, como sabia que na temporada ainda teria pouco espaço na equipe por conta do limite de estrangeiros, preferiu continuar até o fim do ano no Tiger, da Segunda Liga, onde se tornou ídolo.

Outros brasileiros

Site oficial Guangzhou Evergrande
Imagem: Site oficial Guangzhou Evergrande

Elkeson - atacante ex-Botafogo - é do Guangzhou Evergrande, se naturalizou chinês e já foi convocado para a seleção local

Alan - atacante ex-Fluminense - é do Tianjin Tianhai

Marcelo Moreno - atacante ex-Cruzeiro, Fla, etc - é do Shijiazhuang Ever Bright e é naturalizado boliviano

Muriqui - atacante ex-Vasco - é do Guangdong Southern Tigers

Ivo - Meia ex-Palmeiras e Ponte Preta - é do Henan Jianye

Futebol