PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Gringos, indicações e reuniões: Coudet tenta acelerar adaptação ao Inter

Eduardo Coudet assume o comando técnico do Internacional para os próximos dois anos - Marinho Saldanha/UOL
Eduardo Coudet assume o comando técnico do Internacional para os próximos dois anos Imagem: Marinho Saldanha/UOL

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

20/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Eduardo Coudet terá pouco tempo de trabalho até o primeiro compromisso eliminatório pela Libertadores.
  • Por isso, o técnico do Inter quer apressar o processo de formação do time e entendimento de suas ideias pelo grupo.
  • O comandante conta com a parceria de D'Alessandro como pilar do elenco.
  • Além disso, indicou jogadores que já trabalharam com ele e entendem o processo.
  • Durante os próximos dias, uma série de reuniões irão ditar investidas em reforços.

Eduardo Coudet foi apresentado como técnico do Internacional com um contrato de dois anos. O argentino terá, logo em fevereiro, um compromisso complicado na fase preliminar da Libertadores. E para apressar o processo de formação de time, ele conta com algumas armas.

A primeira é a parceria com D'Alessandro. Principal ídolo do elenco, o camisa 10 já foi colega de time e é amigo pessoal do "Chacho" (apelido de Coudet). O armador de 38 anos está prestes a renovar seu contrato por mais uma temporada.

No entanto, a amizade não lhe garante lugar no time. O treinador deixou claro que não leva em conta isso na hora de montar o time.

"Jogará quem estiver melhor. É claro que o D'Alessandro é meu amigo. Eu já vivi isso de ser treinador de jogadores que foram meus colegas. Com Marco Ruben, por exemplo. Mas isso não o faz diferente de todos os jogadores do grupo", disse o treinador.

D'Ale, porém, ajudará na hora de passar a mensagem correta para os companheiros, principalmente nos primeiros dias de trabalho. Os demais estrangeiros também poderão ajudar na compreensão do grupo aos pedidos do comandante.

Pensando em adiantar o trabalho, Coudet também indicou jogadores de sua confiança e com os quais já trabalhou. Exemplo disso é Damián Musto, de 32 anos, que deve ser oficializado nos próximos dias. O volante foi treinado por Chacho no Rosario Central e no Tijuana, do México.

"Sobre jogadores que trabalharam comigo, é uma possibilidade que algum possa vir. Para ganharmos tempo, jogadores que já estão acostumados com o trabalho e possam passar isso adiante", explicou o técnico sem citar o marcador.

Coudet já se reuniu uma série de vezes com a direção do Inter desde que chegou. Ele e sua comissão técnica manterão a rotina de avaliação e formação do grupo até os primeiros dias de janeiro, quando os atletas se apresentam.

O momento é de ter noção das características de cada atleta e com quais o comando técnico poderá contar. Além de Musto, Rodinei está encaminhado e chega com aval do treinador, que prefere laterais com capacidade física e velocidade a jogadores mais técnicos que cadenciem o jogo.

"Temos claro que teremos que buscar características em especial. Jogadores importantes, para serem protagonistas. Estamos alinhados, a direção e a comissão técnica, para fazer um time competitivo e protagonista. Vamos necessitar da chegada de jogadores, mas isso é um tema que já falamos e estamos de acordo no que precisamos acrescentar. Vamos buscar isso porque precisamos nos reforçar", completou Coudet.

O Internacional já liberou mais de dez jogadores e ainda não conseguiu a alternativa que pretende para posição prioritária no grupo: os lados do ataque. Enquanto isso, viu se complicar as negociações por Nacho Fernández e Gabriel Boschilia pela necessidade de investimento alto imposta respectivamente por River Plate e Monaco.

Internacional