PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Filhas do goleiro Jean viram pai socar rosto da mãe, diz B.O.

Milena Bemfica, mulher de Jean, do São Paulo, acusa jogador de violência doméstica - Reprodução/Instagram
Milena Bemfica, mulher de Jean, do São Paulo, acusa jogador de violência doméstica Imagem: Reprodução/Instagram

Talyta Vespa e Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

19/12/2019 14h48

Uma nova versão do boletim de ocorrência registrado por Milena Bemfica na madrugada de quarta-feira (18) contra o goleiro Jean, do São Paulo, foi divulgada pela Justiça dos Estados Unidos. Na versão publicada ontem, informações consideradas confidenciais, como o depoimento das filhas do casal, haviam sido censuradas.

Segundo o novo documento, as crianças de cinco e três anos de idade presenciaram o momento em que o pai desferiu socos no rosto da mãe - foram oito no total. O policial Edgar Castillo, responsável pelo caso, afirma ter conversado com as meninas depois de a mãe ter conseguido acalmá-las.

Além disso, o B.O. expõe a versão de Jean, que argumentou que a discussão não "passou de um mal-entendido". A polícia do Condado de Orange, na Florida, chegou ao hotel em que o casal e as filhas estavam hospedados por volta das 4h após uma denúncia feita pelos próprios funcionários do estabelecimento.

Jean disse, segundo o documento, que a discussão começou depois de Milena tê-lo visto conversando com outra mulher pelo telefone. Ele teria sido algemado por "não cooperar com a investigação" e, verbalmente, dito ao policial que foi Milena a primeira a agredi-lo com uma prancha de cabelo na região da testa. Segundo ele, em seguida, ela mordeu sua coxa esquerda. "Pedi que ele me explicasse como ela conseguiu mordê-lo nessa região, mas ele não soube dizer", afirma o policial no documento.

O B.O. diz que, neste momento, o policial finalizou as perguntas ao então suspeito e se dirigiu a Milena, que tinha dois hematomas roxos nos olhos. "Milena, em uma declaração juramentada, disse que Jean e ela discutiam na sala e que ela tentou acalmá-lo porque as filhas estavam dormindo. O casal foi até o banheiro para continuar a discussão, mas Milena decidiu ir para a cama. Foi quando Jean a seguiu e a empurrou, subiu em cima dela e deu três socos em seu rosto", afirma.

"Milena me disse que pegou a prancha de cabelo e atingiu Jean na cabeça na tentativa de se defender, e, por causa do golpe, o ferro se quebrou. Ambos se levantaram, e Jean a atacou de novo e, então, ela jogou a prancha em direção à perna dele, o que resultou em um pequeno corte".

Ainda segundo o documento, Milena tentou sair do quarto, mas Jean a agarrou pelos cabelos e a arrastou até o banheiro, onde desferiu mais três socos em seu rosto.

O policial afirma que Milena recebeu cuidados médicos ainda no local do ocorrido. Já Jean foi levado ao hospital Dr. P. Phillips para cuidar de seus ferimentos. Na sequência, ele foi encaminhado à prisão do Condado de Orange.

O documento é finalizado com a informação de que Jean foi o principal agressor durante a briga e que, intencionalmente, causou lesões corporais à esposa. Como ambos são casados, o crime se enquadra em violência doméstica. "Além disso, os ferimentos que Jean teve foram consequência de uma ação de legítima defesa por parte de Milena, que não foi acusada de crime algum".

Jean foi levado para a cadeia de Orange County.

Ao UOL Esporte, o advogado de Jean, Jack Goldberger, afirma que "todas as famílias têm desentendimentos, e acreditamos que foi o que aconteceu neste caso. Esperamos que os fatos mostrem que esse foi um assunto familiar privado e que nenhum crime foi cometido".

Futebol