PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira


Como mercado da bola pode prejudicar seleção na briga por vaga olímpica

Antony, durante partida da seleção brasileira sub-23 contra o Japão - Itawi Albuquerque/AGIF
Antony, durante partida da seleção brasileira sub-23 contra o Japão Imagem: Itawi Albuquerque/AGIF

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

19/12/2019 12h00

A seleção brasileira recebeu ontem (18) a notícia que Wendel não será liberado pelo Sporting, de Portugal, para a disputa do pré-olímpico, marcado para janeiro de 2020, na Colômbia. É bem provável que a situação se repita com outros atletas que atuam na Europa e isso ainda pode piorar dependendo do andamento do mercado da bola.

Vários dos convocados despertam interesse de times europeus e uma eventual negociação dificulta ainda mais a liberação, uma vez que a competição que define vaga para Tóquio-2020 acontece em meio à temporada do Velho Continente e não é disputada em data Fifa, o que tira a obrigatoriedade da liberação. O problema, inclusive, já está na mesa do comando da CBF

Antony, do São Paulo, é o melhor exemplo disso. Ele está na mira de equipes da Europa e, se for negociado, provavelmente não terá a sua dispensa aceita, a não ser que isso seja colocado como condição na transação. Walce, também da equipe do Morumbi, é outro que tem o nome nas listas de possíveis vendas elaboradas pela direção são-paulina para diminuir o déficit de 2019.

Bruno Guimarães desperta interesse de vários times europeus - Gabriel Machado/AGIF
Bruno Guimarães desperta interesse de vários times europeus
Imagem: Gabriel Machado/AGIF

Bruno Guimarães, do Athletico, também tem a sua presença colocada em dúvida. Destaque de 2019, sua saída é considerada questão de tempo em Curitiba. No total, a lista tem 14 atletas que atuam em casa e nove que estão longe dela.

Na realidade, nem mesmo os times brasileiros são obrigados a ceder à convocação, mas como a competição está marcada para o início da temporada por aqui é provável que eles possam ajudar o país na busca por mais uma medalha de ouro como já foi em outras convocações feitas por André Jardine.

A princípio, a seleção brasileira ainda não se manifestou sobre esses problemas, mas é provável que a CBF evite brigas com os clubes europeus e que outros nomes sejam colocados no lugar dos que não obtiverem liberação.

O problema para montar uma equipe para a disputa da Olimpíada preocupa a comissão há muito tempo, mesmo na época em que o coordenador de seleções era Edu Gaspar, hoje no Arsenal. Foi ele que iniciou o trabalho de lobby com equipes europeias em busca de uma liberação. Hoje, isso é conduzido por Branco.

A seleção brasileira está no Grupo B e enfrentará na primeira fase Uruguai, Peru, Bolívia e Paraguai. O outro grupo tem Colômbia, Argentina, Chile, Equador e Venezuela. Os dois melhores de cada grupo se classificam para um quadrangular final que decidirá a dupla que seguirá para Tóquio. A estreia do Brasil será no dia 19 contra o Peru.

Confira a lista dos convocados para o pré-olímpico:

Goleiros

Cleiton - Atlético Mineiro
Ivan - Ponte Preta
Phelipe - Grêmio

Laterais

Emerson - Real Betis
Guga - Atlético Mineiro
Ayrton Lucas - Spartak Moscou
Caio Henrique - Fluminense

Zagueiros

Gabriel - Lille
Ibañes - Atalanta
Robson Bambu - Athletico Paranaense
Walce - São Paulo

Meio campistas

Bruno Guimarães - Athletico Paranaense
Douglas Luiz - Aston Villa
Igor Gomes - São Paulo
Matheus Henrique - Grêmio
Reinier - Flamengo
Wendel - Sporting

Atacantes

Antony - São Paulo
Gabriel Martinelli - Arsenal
Matheus Cunha - RB Leipzig
Paulinho - Bayer Leverkusen
Pedrinho - Corinthians
Yuri Alberto - Santos

Seleção Brasileira