PUBLICIDADE
Topo

C. Ribeiro pede para Fla 'não mudar o jeito de jogar' em final do Mundial

Gabigol comemora vitória do Flamengo contra o Al-Hilal, no Mundial de Clubes  - Giuseppe CACACE / AFP
Gabigol comemora vitória do Flamengo contra o Al-Hilal, no Mundial de Clubes Imagem: Giuseppe CACACE / AFP

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/12/2019 14h57

Classificado para a final do Mundial de Clubes após vitória sobre o Al Hilal por 3 a 1, o Flamengo, segundo Caio Ribeiro, não pode mudar seu estilo de jogo caso enfrente o Liverpool na decisão, marcada para este sábado, às 14h30 (horário de Brasília), no Estádio da Cidade da Educação. Analisando a atuação rubro-negra durante o Globo Esporte SP, o comentarista afirmou que o time de Jorge Jesus precisará 'tomar cuidados defensivos' caso reencontre os ingleses numa decisão, mas sem abrir mão do seu jogo.

"Tem que tomar alguns cuidados defensivos. Você dificilmente busca o resultado, como o Flamengo buscou contra o River e o Al Hilal, jogando com um time da qualidade do Liverpool, mas acho que não pode mudar o jeito de jogar. O Flamengo joga atacando, sufocando o adversário, criando chances. Se abrir mão do jogo dele por conta da qualidade do adversário, acho que fica mais difícil", opinou Ribeiro.

De volta a uma final de Mundial após 38 anos, o Flamengo espera o vencedor do confronto entre Liverpool, da Inglaterra, e Monterrey, do México, nesta tarde, para saber que será o seu adversário na decisão do Mundial.

Libertadores 2020

Caio também falou sobre o sorteio dos grupos da Copa Libertadores 2020. Afirmando que o São Paulo terá a tarefa mais difícil entre os brasileiros, o comentarista chamou a atenção para o grupo G, formado por Santos, Olimpia (PAR), Delfín (EQU) e Defensa y Justicia (ARG).

"O grupo do Santos tem o atual campeão paraguaio e o atual campeão equatoriano. Talvez não sejam nomes que assustam o torcedor, mas o Santos vai ter trabalho", disse Ribeiro.

"Qual vai ser a maior pauleira?", perguntou o apresentador Felipe Andreoli.

"O grupo do São Paulo é mais difícil que os outros", respondeu o ex-jogador, analisando a chave que, além do tricolor, tem River Plate (ARG), LDU (EQU) e Binacional (PER).

"Vai ser pauleira, mas todo mundo vai passar, pode anotar", garantiu Andreoli.

Manto errado?

Ribeiro ainda comentou a foto do zagueiro Arboleda, do São Paulo, com a camisa do Palmeiras. Batendo palmas para o jogador, que, em postagem de Billy Arce, atleta do Barcelona de Guayaquil, aparece vestindo o manto do rival, o comentarista cobrou o equatoriano.

"Mandou bem demais, Arboleda", ironizou Caio.

"O que passa na cabeça... O que acontece, Caio?", questionou Andreoli.

"Quando o cara tá de férias, fora de campo, ele pode fazer o que quiser, mas tem que ter um bom senso. Você tem que saber que hoje as redes sociais são uma ferramenta de informação importante, tá todo mundo de olho. Na hora que você coloca a camisa de um rival do tamanho do Palmeiras, arque com as consequências. É claro que a torcida não vai ficar feliz", afirmou.

UOL Esporte vê TV