PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

'Jogo mais importante da minha carreira', diz Jesus sobre final do Mundial

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

17/12/2019 18h05

O técnico Jorge Jesus não pensou duas vezes ao ser questionado sobre a final do Mundial de Clubes e garantiu que será o jogo mais importante da carreira dele. Depois de bater o Al-Hilal, da Arábia Saudita, na semifinal, o Flamengo aguarda o vencedor do confronto entre Monterrey, do México, e Liverpool, da Inglaterra.

Jesus chegou ao Rubro-Negro no meio deste ano, substituindo Abel Braga, e conquistou o Campeonato Brasileiro e Libertadores.

"Já estamos em um patamar superior, como diz o Bruno Henrique. Claro que é o jogo mais importante da minha carreira, assim como do outro treinador que for à final. É a cereja em cima do bolo na temporada que o Flamengo fez. É a final mais importante da minha carreira", disse.

O treinador salientou que o Flamengo vai aguardar a definição da outra semifinal para a preparação para a decisão, mas ressaltou que, caso o Liverpool avance, chega para a disputa como favorito.

"Não vou escolher adversário. Quando você chega ao Campeonato do Mundo, todas as equipes são fortes. Portanto, vamos nos preparar para o que acontecer. Nunca nos debruçamos análise tática sobre o Liverpool porque tínhamos o Al-Hilal. E assim faremos agora. Claro que o Liverpool é favorito, sem dúvida nenhuma, mas vamos com respeito", apontou ele, que ressaltou a vontade de levar o título, independentemente do adversário:

"Quando chegamos já pensávamos em ser campeões do mundo, agora que estamos na final, mais ainda".

Jorge Jesus salientou ainda o poder de reação que o Flamengo tem demonstrado, lembrando que o time também conseguiu a virada na final da Libertadores, contra o River Plate, da Argentina.

"Quando você tem uma equipe que passa por duas situações como essa, em que precisa mudar o resultado, e acredita até o fim, é importante. O Al-Hilal esperou pelos momentos. O Flamengo é uma equipe que vai ter que mandar o jogo na maior parte. O Al-Hilal foi muito melhor nos primeiros 30 minutos. Depois, conseguimos subir o nível de três jogadores na qualidade individual. E o jogo foi transformado com uma superioridade muito maior do Flamengo na segunda parte", avisou.

O trio ofensivo formado por Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol voltou a ser decisivo, participando ativamente dos três gols marcados pela equipe rubro-negra na partida.

"São jogadores que se completam muito. Quando você vê um jogo do Flamengo, sabe quem a qualquer momento vai fazer gol. Se é a melhor equipe ofensivamente que treinei? Não sei. É uma das melhores. Já tive grandes jogadores individualmente no meu primeiro ano de Benfica".

O comandante também fez elogios a Diego. O meia entrou no segundo tempo e começou a jogada do gol da virada, além de ter participado do lance que gerou o terceiro gol. Em Lima, na final da Libertadores, o camisa 10 também havia entrado no segundo tempo e foi o autor do lançamento para o gol da vitória.

"Diego tem sido um jogador fundamental para a equipe. Ele tem criado condição física, técnica e tática. Hoje, diferente de Lima, era preciso um jogador como ele. O Gerson não estava fazendo o que normalmente faz. Sabia que o Al Hilal teria quebras táticas e físicas. Não precisava de um jogador que defendesse muito, precisava de um jogador que tivesse bola. O Diego chega mais. O primeiro gol saiu em uma jogada fantástica. Depois, com a expulsão de Carillo, as coisas ficaram mais fáceis".

Flamengo