PUBLICIDADE
Topo

Termo para reformar Laranjeiras será refeito, grupo pede agilidade de Mario

Revitalização prevê estádio das Laranjeiras com capacidade para 15 mil pessoas - Reprodução
Revitalização prevê estádio das Laranjeiras com capacidade para 15 mil pessoas Imagem: Reprodução

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

16/12/2019 04h00

Assunto que anima tricolores na redes sociais, a reforma do Estádio das Laranjeiras parecia voltar a caminhar com a gestão Mario Bittencourt. O presidente, que afirma ser entusiasta do retorno do Fluminense à sua histórica casa, entretanto, não tem dado celeridade ao projeto. Com outras questões importantes do clube para tocar, o projeto de revitalização tem ficado em segundo plano, e o termo de cooperação, necessário para que o grupo de abnegados responsável pela iniciativa possa captar recursos, precisará ser refeito.

A pedido do clube, duas cláusulas precisarão ser adicionadas ao documento, o que inviabilizou, por exemplo, que o grupo Laranjeiras XXI voltasse ao mercado para buscar apoiadores por ora. O projeto, entretanto, segue de pé. Em coletiva na última sexta-feira, Mario Bittencourt afirmou que ele sairá do papel.

"Já tivemos uma reunião muito produtiva com todos os participantes do projeto de revitalização. Assinamos o termo de cooperação, a partir de 2020 os sócios que fizeram o projeto vão ao mercado captar os investimentos para reformar o estádio. Sou um entusiasta. Tenho muita vontade que o clube volte a jogar lá. Só não quero criar ansiedade porque vai demorar. Eu não estou preocupado em realizar isso na gestão. Minha preocupação é que o Fluminense jogue lá. Só quero comprar uma cadeira lá (risos). Mas vai caminhar. Vai sair", disse.

Alguns membros do grupo, entretanto, não viram tanta "produtividade" assim. O pai do presidente, Luiz Mario Bittencourt, foi o engenheiro indicado por Mario para compor o comitê e gostou bastante do que viu. De fato, houve entusiasmo e receptividade melhores que os de Pedro Abad, que não concordava com o projeto, mas deu liberdade para seu prosseguimento com a assinatura do termo de cooperação.

Todos, entretanto, aguardavam mais agilidade. O grupo cobra que a diretoria, além do termo, faça uma reunião indicando a retomada do projeto, dado o tempo parado aguardando a resolução das eleições deste ano. A delegação de autorizações e responsabilidades para os representantes da comissão mista ainda não foi feita. A reunião que estava marcada para o fim de novembro foi adiada, e ainda não há nova data. Até agora foi realizado apenas um primeiro encontro, de apresentação do projeto.

Sem o termo e a indicação dos próximos passos, o projeto terminará 2019 parado. A ideia, no início do projeto, era que neste ano, quando o Estádio das Laranjeiras completou 100 anos, o Fluminense pudesse atuar por lá. Mas 2020 se avizinha e ainda há total indefinição. O grupo Laranjeiras XXI, que recebe enorme apoio da torcida nas redes sociais, espera o aval do clube para voltar a prospectar patrocínios e viabilizar os próximos passos da reforma.

Fluminense