PUBLICIDADE
Topo

Com saídas, Santos encerra o que torcedor chama de "geração do quase"

Vitor Bueno, Gabigol, Gustavo Henrique e Victor Ferraz comemoram gol do Santos - Ivan Storti/Santos FC
Vitor Bueno, Gabigol, Gustavo Henrique e Victor Ferraz comemoram gol do Santos Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

16/12/2019 04h00

Na história recente do Santos, a página mais dolorida para o torcedor ocorreu em 2015, quando o Peixe perdeu a final da Copa do Brasil para o Palmeiras e acendeu a rivalidade entre os dois. Para os santistas, aquele vice bastou para classificar o elenco que era atual campeão paulista em "geração do quase".

As saídas de Gustavo Henrique e Victor Ferraz no Mercado da Bola, porém, colocaram fim nos últimos remanescentes de linha daquela equipe. Agora, apenas o goleiro Vanderlei, que perdeu a posição para Everson nesta temporada, jogou a final e segue no Santos.

Naquela ocasião, o Peixe entrou em campo com: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Marquinhos Gabriel, Gabigol e Ricardo Oliveira. O alvinegro venceu o primeiro jogo, na Vila, por 1 a 0, mas acabou derrotado por 2 a 1 dentro do Allianz Parque e perdeu a taça nos pênaltis.

Além da perda do título, o fim de temporada do Peixe naquele ano foi catastrófico. Na 34ª rodada do Brasileirão, o clube estava no G-4 e garantindo vaga para a Copa Libertadores da América. Porém, em virtude da decisão da Copa do Brasil, Dorival Jr poupou titulares em algumas rodadas e, além do título, perdeu também a vaga no torneio continental.

Um dos que mais sofria com a alcunha de "geração do quase" era o lateral-direito Victor Ferraz, trocado com o Grêmio pelo também lateral-direito Madson, que disputou o Brasileirão 2019 pelo Athletico-PR. Ele chegou ao Santos em 2014, vindo do Coritiba, e conquistou dois campeonatos paulistas com o Peixe: em 2015, antes da catástrofe na Copa do Brasil, e em 2016.

Apenas mais um jogador que foi relacionado para aquele jogo, além do goleiro Vanderlei, ainda está no clube: o volante Alison, que já completou sete temporadas no profissional do Peixe. Vladimir, goleiro que estava emprestado ao Avaí, e Daniel Guedes, lateral que estava no Goiás, também estiveram presentes e retornam ao Santos em 2020, mas sem confirmação de serem aproveitados. Vitor Bueno, outro que esteve no banco na final, também foi negociado em definitivo com o São Paulo, onde estava por empréstimo, em troca do atacante Raniel.

Curiosamente, o Peixe não terá seu capitão e vice-capitão na próxima temporada: Ferraz e Gustavo Henrique. A tendência é que a braçadeira com o Z, homenagem ao eterno capitão Zito, seja do uruguaio Carlos Sánchez ou do volante Alison.

Santos