PUBLICIDADE
Topo

Santos economiza mais de R$ 2 mi por mês com saída de Sampaoli e quarteto

Leandro Donizete carrega a bola durante treino do Santos; volante ficará livre no Mercado da Bola - Ivan Storti/ Santos FC
Leandro Donizete carrega a bola durante treino do Santos; volante ficará livre no Mercado da Bola Imagem: Ivan Storti/ Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

13/12/2019 04h00

O Santos já confirmou três saídas no mercado da bola: o zagueiro Gustavo Henrique, o lateral-esquerdo Jorge e o técnico Jorge Sampaoli. Além deles, o paraguaio Derlis González também não deve jogar mais pelo Santos, assim como o volante Leandro Donizete, encostado há um ano e que tem vínculo até 31 de dezembro. Os cinco aliviarão os cofres santistas em mais de R$ 2 milhões por mês.

Juntos, treinador e comissão técnica geravam um custo mensal ao Peixe que ultrapassava a barreira de R$ 1 milhão. Os dois defensores que já deram adeus, somados, representavam cerca de R$ 500 mil por mês. Donizete, que fracassou no clube, ganhava mais de R$ 300 mil, enquanto o atacante paraguaio recebe pouco mais de R$ 250 mil.

Donizete não atua pelo Santos desde março do ano passado e só realizou uma única partida naquele ano. Contratado a pedido de Dorival Júnior, o volante nunca se firmou no Peixe e está encostado desde então. Emprestado ao América-MG, que pagava somente um terço dos vencimentos, até o final de 2018, ele se lesionou gravemente e, por força de contrato, só retornou à Baixada Santista em novembro. Internamente, o sentimento com o término de seu vínculo é de alívio.

O único que ainda não está confirmado fora do Peixe para a próxima temporada é o paraguaio Derlis González. O Santos não conta mais com o atacante, e o próprio Derlis vê com bons olhos a saída da equipe. O atacante está emprestado pelo Dínamo de Kiev, da Ucrânia, até o meio de 2020, mas o Olímpia, do Paraguai, negocia diretamente com os ucranianos para ficar com o atleta. O Peixe não irá se opor.

A diminuição na folha salarial dá alguma margem para o Santos se movimentar no vai e vem do mercado da bola. Ainda assim, o Peixe precisa diminuir despesas e até negociar jogadores para equilibrar as contas, pois vive situação financeira delicada.

Prova disso foi a contratação de Raniel, centroavante ex-São Paulo, que chegou sem que o Santos precisasse gastar nenhum real e com salário abaixo de todos os citados acima.

Santos