PUBLICIDADE
Topo

Santos

Cueva fala em desrespeito de Sampaoli: "Perguntem a roupeiros e seguranças"

Sampaoli orienta Cueva durante treino do Santos - Ivan Storti/Santos FC
Sampaoli orienta Cueva durante treino do Santos Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

13/12/2019 19h45

O meia Christian Cueva, alvo de várias polêmicas neste ano, concedeu entrevista à rádio "Ovacion", do Peru, e abriu o jogo sobre sua temporada no Santos e, principalmente, a relação com o técnico Jorge Sampaoli. E o jogador fez duras críticas ao antigo treinador.

O peruano falou mais de uma vez em desrespeito por parte do argentino, afirmou que teve de se segurar durante o ano e desafiou a imprensa a perguntar sobre a situação aos funcionários do clube.

"A imagem do Cueva no Santos não é a minha imagem. Eu não joguei, foi tema pessoal com o treinador e agora posso dizer. Tive que suportar coisas pois não quero cometer mesmos erros anteriores na carreira. O treinador fez a torcida ver assim. Cada resposta do presidente falava sobre estar à disposição do grupo, sempre fui respeitoso. Me mandaram treinar separado e tive que aguentar, me segurei? Trabalhei calado. Se as pessoas do Peru querem saber o tema é só ir ao clube e averiguar. Por que ele não sai bem do clube? Não é um tema que não me ponha a jogar ou não, é de ser uma pessoa que respeite a todos. Amor não, mas respeito todos merecem. Eu tive respeito até o último dia. Podem perguntar aos roupeiros, seguranças e presidente, passando pelos meus companheiros. É normal treinadores não escalarem alguém, é o futebol, mas o respeito tem que ser igual a todos", disse Cueva durante a entrevista.

Ao mesmo tempo, o peruano não se escondeu e admitiu os erros que cometeu até aqui em sua passagem no Santos. Ele quer deixar os acontecimentos no passado e voltar aos gramados em 2020, seja no Santos ou não.

"Tenho que fazer um mea culpa de erros cometidos. Isso atrasa um pouco de ir adiante. São detalhes e agora é pensar no que vem no próximo ano e estar preparado. Quero voltar a me sentir importante, depois as coisas voltam ao lugar. No Santos ou não, quero ser feliz. Tenho vontade de jogar o futebol e cumprirei o contrato se o Santos quiser. Eu tive vontade de jogar, mas esse tema pessoal impediu muitas coisas", afirmou.

O UOL Esporte procurou funcionários do Santos que negaram qualquer tipo de problema com o técnico Jorge Sampaoli durante o tempo em que ele esteve no Peixe.

Cueva interessa ao Rosário Central, da Argentina, no Mercado da Bola e admitiu durante a entrevista que conversou com os dirigentes argentinos. O meia, apesar de não ser a prioridade, estava presente em uma lista de jogadores indicados pelo técnico Jorge Sampaoli.

Afastado desde o meio do ano, o peruano custou R$ 26 milhões em três parcelas anuais que começam a vencer em março de 2020. Ao todo, Cueva entrou em campo pelo Peixe 16 vezes, não marcou ou deu qualquer assistência.

Santos