PUBLICIDADE
Topo

Como Santos mostra com Raniel que pedidos de Sampaoli foram exagerados

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

12/12/2019 04h00

A posição de centroavante é escassa no Brasil e o Santos sabe muito bem disso. O Peixe ficou quase um ano em busca de um camisa 9 de área desde a chegada do técnico Cuca no último ano, passando por Sampaoli, até contratar o colombiano Uribe. Ontem, no entanto, o Santos surpreendeu no Mercado da Bola e anunciou o atacante Raniel, ex-São Paulo, sem gastar nada.

O centroavante foi envolvido em um troca com Vitor Bueno, que foi em definitivo para o rival, enquanto Raniel veio em definitivo para o Peixe. Assim, o elenco santista agora conta com dois 'camisas 9' de nível: Eduardo Sasha e Raniel, resolvendo a posição como queria o técnico Jorge Sampaoli, mas sem precisar comprometer seu orçamento para isso.

O argentino exigiu que o Peixe investisse R$ 100 milhões em reforços para a temporada 2020, acreditando ser a única forma de formar um elenco com dois jogadores de nível em cada posição e estar apto a vencer a Copa Libertadores da América. Em situação financeira delicada, o Santos rejeitou o pedido.

A diretoria argumentou com Sampaoli que a verba era irreal naquele momento, mas prometeu reforçar o time como podia, pois também tem o desejo de brigar por títulos. O argentino, cansado das promessas do presidente José Carlos Peres, não aceitou e decidiu sair do clube. Ele se despediu ontem com uma carta.

O Peixe sabe que precisa vender jogadores para equilibrar as contas, mas quer reforçar o elenco como pode sem gastar muito, como foi feito com Raniel.

Santos