PUBLICIDADE
Topo

Mundial de Clubes - 2019


Time de Xavi perde gols, sofre com azarão, mas vence em estreia do Mundial

Jogadores do Al Sadd comemoram gol sobre o Hienghène pelo Mundial  - REUTERS/Ibraheem Al Omari
Jogadores do Al Sadd comemoram gol sobre o Hienghène pelo Mundial Imagem: REUTERS/Ibraheem Al Omari

Do UOL, em São Paulo

11/12/2019 17h00

Classificação e Jogos

O Mundial de Clubes 2019 começou com um jogo recheado de emoções. Comandado pelo técnico Xavi, o Al Sadd era favorito contra o modesto Hienghène, da Nova Caledônia. Mas, mesmo "jogando em casa", o time do Qatar não teve vida fácil contra os visitantes e venceu por 3 a 1, na prorrogação. A partida aconteceu no estádio Jassim Bin Hamad, em Doha.

Bounedjah, Abdelkarim e Pedro marcaram para o Al Sadd, e Roine descontou.

Além das dificuldades enfrentadas pela equipe do Qatar, que perdeu chances claras até sem goleiro, a partida também ficou marcada pelo número de intervenções do VAR. Um gol do Al Sadd foi anulado e dois tentos, um para cada lado, precisaram ser checados de forma mais detalhada pelo árbitro de vídeo.

Agora, o Al Sadd tem pela frente o Monterrey, do México, nas quartas de final. O jogo acontece no sábado, às 14h30 (de Brasília). Quem avançar pega o Liverpool na próxima quarta-feira. O Flamengo está do outro lado da chave.

O jogo começou com a equipe comandada por Xavi muito mais ativa e imprimindo um ritmo mais veloz, mas sem criar grandes chances. A superioridade fez a diferença aos 25 do primeiro tempo. Bounedjah aproveitou o cruzamento dentro da área de só completou para abrir o placar.

O empate do Hienghène veio aos três minutos do segundo tempo. Roine ganhou do zagueiro no corpo e bateu colocado para igualar.

Foi então que brilhou a estrela do goleiro Nyikeine, do Hienghène. Com boas defesas, ele segurou a pressão do Al Sadd, que cansou de perder gols, e evitou a derrota no tempo normal.

Se evitou a queda nos 90 minutos, Nyikeine fez parte da lambança que acabou no segundo gol do time do Qatar. Aos oito minutos da prorrogação, o goleiro foi pressionado a segurar uma bola recuada dentro da área e o juiz marcou recuo intencional. Na cobrança, Abdelkarim encheu o pé e deixou os donos da casa em vantagem. O gol que definiu o placar saiu já no fim do tempo extra. Pedro invadiu a área pela direita e bateu firme para anotar o terceiro.