PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Leonardo detesta ouvir que voltou ao PSG para controlar Neymar

Leonardo, diretor esportivo do PSG  - BERTRAND GUAY-18.jul.2012/AFP
Leonardo, diretor esportivo do PSG Imagem: BERTRAND GUAY-18.jul.2012/AFP

Da Rádio France Internacional

11/12/2019 13h14

Le Parisien aproveita a última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa hoje para publicar em entrevista exclusiva com o diretor esportivo do PSG, Leonardo. O jornal diz que, seis semanas após voltar a ocupar o cargo, o brasileiro começa a imprimir sua marca, entre diplomacia e intransigência, e detesta que digam que voltou no clube parisiense "apenas para controlar Neymar".

No início de novembro, quando declarações voltaram a circular afirmando que o ex-diretor tinha sido chamado de volta pelo presidente do PSG Nasser Al-Khelaïfi somente por causa de Neymar, Leonardo foi obrigado a colocar novamente os pingos nos "i".

Ele lembrou que a relação dele com o PSG é muito mais antiga e que sua volta independe do caso do atacante, mesmo que o craque brasileiro tenha ocupado boa parte de seu tempo durante o verão europeu, conta Le Parisien. O jornal lembra que foi ele quem recebeu os dirigentes do Barcelona para a reunião derradeira sobre a transferência, finalmente abortada, de Neymar para a Espanha.

Assim que reassumiu o cargo, em 14 de junho, Leonardo ligou para todos os colaboradores do PSG - jogadores, agentes e conselheiros - para avisar que iria conversar com todo mundo. Seis meses depois, ele teve tempo de sondar seu efetivo, iniciar negociações sobre a prolongação de contratos e, globalmente, colocar em ordem a casa. Esta foi a missão que tinha ao voltar, revela Leonardo. "Sabia que ia batalhar um pouco no início, mas que depois ia funcionar", resume.

Segundo o diário, Leonardo ocupou seu espaço e assume suas decisões. Em concertação com o presidente Nasser Al-Khelaïf, cancelou o estágio dos jogadores no Catar, que estava previsto entre 13 e 16 de janeiro, julgando que não era oportuno. Leonardo também impôs que a camisa alaranjada do PSG, que não casa com a história do clube, seja usada o mínimo possível.

Atacantes vedetes

Mas a grande expectativa é em relação à sua capacidade de negociar a permanência de seus dois atacantes vedetes no PSG. O diretor esportivo já começou as discussões para tentar prolongar o contrato do francês Kylian Mbappé. Por enquanto, Leonardo já renegociou com "tenacidade" o contrato de três jogadores, Verratti, Dagba e Innocent, informa Le Parisien.

Em relação à disciplina, ele não hesita em chamar a atenção de um jogador diante de toda a equipe, seja ele Neymar ou um jovem iniciante. Acabaram as regalias! Leonardo é a voz do PSG e ocupa o espaço midiático para comentar os problemas ou as conquistas, como a classificação para as oitavas de final da Liga dos Campões. O brasileiro soube dar a volta por cima e voltar com força ao PSG, depois de sua suspensão imposta pela Federação Francesa de Futebol, em 2013, após a agressão de Leonardo a um juiz de futebol.

O PSG enfrenta na noite desta hoje, em casa, o Galatasaray. O clube francês já tem vaga garantida na próxima fase, o clube turco é o último do grupo. Mesmo assim, o técnico Tuchel armou uma equipe de choque, com Neymar, Mbappé e Di Maria no ataque. Os torcedores, que vão enfrentar a greve nos transportes e o frio, esperam um espetáculo à altura do talento técnico da equipe e da importância da Liga dos Campeões, adianta Le Parisien.

Futebol