PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Fla, Palmeiras ou Europa? Por que Gustavo Henrique é "o cara" do mercado

Gustavo Henrique comemora seu gol pelo Santos contra o Goiás - Ivan Storti/Santos FC
Gustavo Henrique comemora seu gol pelo Santos contra o Goiás Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

10/12/2019 04h05

Resumo da notícia

  • Gustavo Henrique já anunciou que irá deixar o Santos ao término de seu contrato
  • A notícia de poder contratar um dos titulares do time de Jorge Sampaoli de graça transformou o zagueiro "no cara" do Mercado da Bola
  • Gustavo teve sua melhor temporada na carreira em 2019, tanto em desempenho, quanto em número de jogos e gols
  • O defensor, que chegou a estar fora dos planos de Sampaoli, evoluiu em vários aspectos sob a batuta do argentino

O zagueiro Gustavo Henrique, 26, não estará no Santos na temporada de 2020. Com o contrato se encerrando em 31 de janeiro de 2020, o defensor que foi vice-capitão do Peixe vice-campeão Brasileiro da temporada se converteu automaticamente em um dos alvos mais cobiçados do Mercado da Bola nesta janela.

Com vários clubes monitorando a situação do zagueiro, seus representantes já chegaram a conversar com clubes como Palmeiras, Flamengo, Porto (POR) e Sporting (POR). O mais próximo de um acerto, neste momento, é o clube carioca.

Revelado pelo próprio Santos, Gustavo Henrique está no profissional do clube da Vila Belmiro desde 2012. Ele desceu para conquistar a Copa São Paulo de Futebol Jr de 2013, mas logo subiu novamente. O defensor teve sua melhor temporada, sendo titular e ficando longe das lesões que assombraram sua carreira.

Foram 55 jogos ao longo do ano e cinco gols, melhor número de sua vida em ambos os quesitos. Difícil imaginar que, na verdade, o camisa 6 do Santos não estava sequer nos planos de Jorge Sampaoli quando o argentino chegou ao clube. Ele não chegou a falar publicamente que Gustavo Henrique poderia procurar outro clube, como fez com Eduardo Sasha, mas comunicou o zagueiro que não contava com ele.

O defensor, porém, conquistou o comandante nos treinos e aproveitou as oportunidades em campo, se convertendo em pouco tempo em um dos homens de confiança do argentino, ganhando a faixa de capitão quando Victor Ferraz não atuava. Só Diego Pituca e Carlos Sánchez vestiram a camisa do Santos mais vezes do que ele em 2019.

Sob o comando de Sampaoli, Gustavo Henrique evoluiu seu posicionamento e aprendeu a jogar em linha alta, como pede o argentino. A melhora na colocação em campo escondeu a falta de velocidade, admitida por ele mesmo, que seu 1,96 m proporcionam.

O Peixe tentou renovar o contrato do defensor que ganhava na casa dos 200 mil reais, mas não conseguiu chegar a um acordo. O técnico Jorge Sampaoli, assim como o ex-Superintendente de Futebol Paulo Autuori, lamentou diversas vezes a condução da diretoria santista no negócio e o desfecho que tirou seu zagueiro titular da Vila Belmiro.

Futebol