PUBLICIDADE
Topo

Quais são os jogadores que devem sair ou sobreviver à limpa no Cruzeiro

Thiago Neves já está na lista de negociáveis; Robinho, embora criticado, ficará em recuperação pelo menos até abril - Pedro Vale/AGIF
Thiago Neves já está na lista de negociáveis; Robinho, embora criticado, ficará em recuperação pelo menos até abril Imagem: Pedro Vale/AGIF

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

09/12/2019 11h00

Resumo da notícia

  • Cruzeiro já avisou que fará uma limpa no elenco para evitar novos gastos na temporada de 2020
  • Atletas como Thiago Neves, Fred, Pedro Rocha e outros medalhões não devem permanecer
  • Contratos longos, alta idade e baixo poder de negociação devem dificultar grandes vendas ao clube
  • Jovens da base como Cacá, Éderson, Mauricio e Popó deverão receber mais oportunidades

O Cruzeiro terminou a temporada mais desastrosa de sua história, se despedindo do Brasileirão da pior forma possível e amargando o rebaixamento inédito ao perder para o Palmeiras no Mineirão. Sem dinheiro e com um cenário ainda mais negativo financeiramente, a diretoria será obrigada a fazer uma limpa no elenco recheado de medalhões e com altíssimos salários. A partir dessa segunda-feira, Wagner Pires de Sá, Zezé Perrella e Adilson Batista passarão a estudar quais nomes ficam ou saem do clube. Algumas situações já são esperadas.

Dos grandes nomes do atual elenco, Thiago Neves é o que encabeça a lista para deixar o clube. Lesionado, o meia passou os últimos dias fazendo trabalhos separados dos companheiros na Toca da Raposa. Agora, o Cruzeiro aguarda contatos para se livrar do jogador, que ainda tem contrato até o final do ano que vem. Outro com futuro praticamente definido é Pedro Rocha. Emprestado pelo Spartak Moscou, da Rússia, o atacante também recebe um dos maiores salários do clube, algo que se tornará incompatível para a nova realidade. Além da dupla, Fred e Edilson, vinculados até o final de 2020, vivem situações semelhantes. Fechando a lista, outros medalhões como Marquinhos Gabriel e Sassá também devem entrar em rota de saída.

Apesar do desejo de reformular o grupo, são pelo menos dois os problemas que o Cruzeiro tem para resolver sobre o futuro desses atletas. O primeiro deles é que muitos tiveram seus contratos renovados recentemente. Se não encontrar alguma equipe disposta a comprá-los, a diretoria terá mais dor de cabeça ao ter que negociar rescisões e pagar acordos. Ou seja, além de não lucrar com vendas, corre o risco de gastar mais dinheiro para liberar os jogadores. O outro desafio será vivenciado já nesses próximos dias. Disposto a se livrar dos jogadores mais caros, a tendência é que o Cruzeiro não tenha tanto poder de negociação, já que está com seus jogadores em baixa, ao mesmo tempo que precisa de receitas urgentes para diminuir seu rombo, correndo o risco real de negociar atletas por um preço menor que o esperado.

Dos grandes nomes do atual elenco, alguns possuem mais chance de permanência. São os casos de alguns líderes como Fábio, Henrique e Léo. Embora sejam jogadores que Adilson Batista queira contar, todos os três também possuem salários nada baixos e, por isso, também terão que entrar na roda de conversas para tratar eventuais reduções. Outros dois devem ficar, mas por motivos distintos. Rodriguinho tem contrato até 2021 e está se recuperando de lesão no joelho. Pelo menos no discurso, a ideia era de permanecer com o jogador. Robinho é outro que ainda tem mais dois anos para cumprir, e mesmo que seja um dos mais criticados pela torcida, seguirá no clube pelo menos por enquanto. No meio de semana, o jogador se machucou gravemente e ficará em recuperação pelo período de quatro a seis meses, inviabilizando qualquer possibilidade de ser transferido neste momento.

Assolado em dívidas, certo é que o Cruzeiro fará mais uso das categorias de base no ano que vem. Nesta reta final de Brasileirão, alguns nomes já se destacaram e poderão ser utilizados mais vezes em 2020. Na defesa, Cacá e Fabrício Bruno colecionaram elogios. No meio, Mauricio e principalmente Éderson foram gratas surpresas. Já no ataque, Vinicius Popó é tratado como promessa e é outro que também deverá ganhar mais chances.

Cruzeiro