PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Única árbitra na Série A do Brasileiro foi a SP para "fortalecer equipe"

A árbitra-assistente Neuza Back ao lado de Edina Alves, no apartamento em que moram, em São Paulo - Julia Rodrigues/UOL
A árbitra-assistente Neuza Back ao lado de Edina Alves, no apartamento em que moram, em São Paulo Imagem: Julia Rodrigues/UOL

Talyta Vespa

Do UOL, em São Paulo

06/12/2019 11h00

Única mulher a apitar jogo da Série A do Brasileirão na atualidade, Edina Alves decidiu sair de Goioerê, no Paraná, e vir para São Paulo por um plano de carreira. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, a árbitra conta que precisava de entrosamento com as árbitras-assistentes Tatiane Sacilotti, de São Paulo, e Neuza Back, de Santa Catarina.

Para isso, propôs à amiga catarinense a divisão de um apartamento em São Paulo onde, segundo ela, fica o melhor futebol. "A Tati morava aqui, eu, no Paraná, e a Neuza, em Santa Catarina. A gente não jogava junto e, para criar uma equipe forte, é preciso entrosamento. Então, Neuza e eu decidimos vir para cá. O melhor futebol está aqui, não tem jeito", diz Edina, que quebrou um hiato de 14 anos ao se tornar a primeira mulher a apitar um jogo da Primeira Divisão - a última havia sido Silvia Regina.

Só que, em setembro, Tatiane anunciou a precoce aposentadoria depois de bandeirar seu último jogo, na Copa do Mundo Feminina da França. "Quando ela me procurou para dizer que iria parar, que queria ter filho, eu entrei em negação. Não queria falar com ela, não queria ouvir. A gente tinha um time forte, eu não podia acreditar que ela abriria mão disso", conta .

"Até hoje não superei. Na final do Paulista feminino, em novembro, fizemos uma homenagem para ela. Eu disse que não queria ter feito aquilo, mas, sim, que ela ainda estivesse com a gente. Queria mais um Mundial e uma Olimpíada. Só que foi a decisão dela e eu preciso aceitar". Veja a entrevista completa aqui.

Futebol