PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Aproveitamento despenca, pressão aumenta, e Inter tem fim de ano tenso

Zé Ricardo, técnico do Inter, encara dificuldades no fim de temporada - Ricardo Duarte/Inter
Zé Ricardo, técnico do Inter, encara dificuldades no fim de temporada Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

05/12/2019 10h03

Três vitórias em 10 jogos. Este é o desempenho do Inter sob comando de Zé Ricardo. Com aproveitamento despencando e ameaça de não entrar na próxima Libertadores, o Colorado vai para última rodada do Brasileiro sob pressão e encerra a temporada de forma tensa.

O ano não tinha qualquer sinal de turbulência no início. Ainda que não tenha conquistado o Campeonato Gaúcho, o vice-campeonato veio para o Grêmio apenas nos pênaltis após dois empates na final. O time fez boa campanha na Libertadores, eliminado nas quartas de final para o campeão Flamengo, e foi vice-campeão da Copa do Brasil, perdendo a decisão para o Athletico Paranaense.

O desempenho era totalmente aceitável para um clube que há dois anos era vice-campeã da Série B e conseguia, com dificuldades, voltar à elite do futebol nacional.

Mas depois da queda para os paranaenses, o fluxo negativo não teve fim. A oscilação gerou a demissão de Odair Hellmann, a contratação de Zé Ricardo, alterações no departamento de futebol e uma queda brusca no rendimento em campo refletida nos resultados.

"Tivemos bons momentos em algumas partidas. Talvez nosso melhor jogo tenha sido contra o Corinthians em Itaquera. E na minha estreia contra o Bahia. Acredito que não conseguimos manter a regularidade em um jogo inteiro. Tivemos bons momentos, apresentamos alguns comportamentos que queremos e trabalhamos, mas realmente algumas coisas atrapalham. A pressão é grande pelo objetivo. A vaga direta não foi mais possível. E quando a pressão é muito grande, alguns jogadores sentem mais que outros. Hoje tomamos dois gols quando a bola estava nos nossos pés. Não podemos cometer estes erros em jogos assim. Hoje era uma final para nós", lamentou o técnico Zé Ricardo.

Mas independente dos fatores que levaram a isso, a queda é inegável. Zé Ricardo completou 10 jogos no comando do Inter com três vitórias, três empates e quatro derrotas. Um aproveitamento de 40%. São 10 gols marcados e 14 sofridos no período. O Colorado caiu para oitavo faltando um jogo para o fim do Brasileiro.

Odair Hellmann, demitido após derrota para o CSA pela 24ª rodada, deixou o time em sexto com 11 vitórias, cinco empates e oito derrotas, um aproveitamento de 52,7%.

"Números são números. Tem muita coisa que os números não mostram quando não são dissecados como têm que ser. Não podemos falar que não, realmente tivemos dificuldades principalmente em casa. Há fatores que nos pressionam, os atletas, que fica claro pela tomada de decisão em partidas. Está incomodando, interfere na gente. Vemos uma equipe com alguns momentos de boa distribuição, ocupação territorial, mas às vezes falta intensidade em momentos do jogo. Temos tomado gols em lances estranhos, isolados, como foi hoje (contra o São Paulo", afirmou o treinador.

O Internacional jogará a última partida da temporada em casa, onde só venceu uma sob comando do atual treinador. Contra o Atlético-MG, no domingo, dependerá de uma vitória a vaga na fase preliminar da Libertadores. E a tensão estará presente, como tem ocorrido a cada partida como mandante.

"Sempre esperamos jogar com apoio da torcida. Mas entendemos a chateação deles. Tomara que a torcida, todos os colorados, percebam que não adianta apontar culpados de antes, agora ou depois. Temos que ficar focados no domingo, contar com a colaboração da torcida, porque isso faz a diferença. Espero um estádio pulsante a favor do time. A torcida sempre apoiou nos momentos mais difíceis, espero que seja assim. Temos que fazer a nossa parte para merecer este apoio", finalizou.

Internacional