PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grêmio negocia aquisição de empresa que toca administração da Arena

Lucas Uebel/Grêmio
Imagem: Lucas Uebel/Grêmio

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

04/12/2019 18h55

O negócio do Grêmio para assumir a gestão da Arena envolve a aquisição da Arena Porto-Alegrense, empresa criada pela OAS para administrar o estádio inaugurado em 2012. O clube gaúcho passará a controlar a SPE (Sociedade de Propósito Específico) e provavelmente vai encerrar com o Conselho de Administração da holding.

O Conselho da Arena POA é formado por três conselheiros indicados pela construtora e outros dois indicados pelo Grêmio. Os representantes do clube possuem poder de veto para compensar a minoria à mesa.

Conforme mostrou a coluna De Primeira, o Grêmio manterá um executivo no controle da administração do estádio. O plano é que esse profissional responda diretamente ao Conselho de Administração, órgão que conta com seis vice-presidentes e Romildo Bolzan Jr., mandatário do Grêmio.

A Arena Porto-Alegrense conta com 48 colaboradores no quadro de funcionários e mais outros terceirizados para realização de operações diárias e também em jogos. O plano do Grêmio é manter a estrutura principal, com profissionais em cargos decisivos.

A compra da gestão da Arena do Grêmio voltou à tona em novembro, quando o Grêmio retomou o diálogo com bancos, Karagounis e o Ministério Público do Rio Grande do Sul em busca de acordo para assumir o controle total do estádio. O clube gaúcho mantém a previsão de que o negócio poderá ser concluído ainda em 2019. Para isso, resta aval do MP-RS em repactuação de acordos sobre obras no entorno da Arena. Por parte dos bancos credores do financiamento já existe aval.

Inaugurado em dezembro de 2012, o estádio é centro de negociação intensa do Grêmio com bancos desde 2013. As tratativas mantém o estádio Olímpico, no bairro da Azenha, em poder do clube e inativo. A partir da conclusão do negócio atual, a troca de chaves será feita.

Futebol