Topo

Palmeiras expulsará torcedores envolvidos em opressão se forem sócios

Do UOL, em São Paulo

03/12/2019 13h06

Por meio de uma nota publicada em seu site hoje (3) à tarde, o Palmeiras se manifestou pela primeira vez sobre o episódio em que dois homens foram hostilizados e expulsos do Allianz Parque por não estarem com a camisa do time durante jogo contra o Flamengo, no domingo - o UOL Esporte publicou um relato detalhado da confusão mais cedo. O clube disse que investiga o caso e promete punições caso os torcedores envolvidos na cena de opressão sejam associados.

"Assim que tomamos conhecimento dos fatos, abrimos investigação para identificar os autores desses lamentáveis casos de violência que em nada contribuem para o bom convívio em sociedade. Se os responsáveis constarem do quadro de sócios Avanti do Palmeiras, serão sumariamente excluídos do programa. O respeito ao próximo é o mínimo que se espera em qualquer ambiente, ainda mais em uma praça esportiva", escreveu o clube em um dos trechos da nota, que chama o ato de "autoritário".

"Estádio de futebol é, essencialmente, um espaço democrático, um lugar onde todos deveriam ser bem-vindos independentemente da camisa que vestem ou da forma como torcem e se expressam. A Sociedade Esportiva Palmeiras não compactua e não aceita quaisquer atos de intimidação, intolerância e discriminação em nossa casa. Os episódios do último domingo, em que espectadores foram coagidos a deixar o Allianz Parque por não seguirem um padrão de comportamento imposto de maneira autoritária, não refletem a história agregadora da nossa instituição."

Joabes Santos e Diego Lima estavam no setor Gol Norte do Allianz Parque como visitantes, sem roupas do Palmeiras. No intervalo do jogo eles foram abordados por torcedores que queriam que eles provassem ser palmeirenses. A dupla não reagiu e acabou expulsa do estádio sob acusação de serem flamenguistas infiltrados.

"Nunca passei por algo tão humilhante, fiquei surpreso. Os caras do nada vieram falar que éramos infiltrados, chamando de molambos. Poxa, eu torcia para o Palmeiras quando moleque. Cresci como jogador de futebol, então não tive mais aquela animação de torcedor, mas fui para assistir um bom futebol. Nem pensei sobre a camisa, completamente sem maldade. Não somos frequentadores, era minha primeira vez no estádio. Mas infelizmente aconteceu. Quando saímos dali o pessoal do andar de cima começou a cuspir na gente, alguns torcedores correndo atrás. Meu amigo teve que entrar dentro de uma lanchonete, eles entraram atrás. Até que alguns policiais chegaram. Pensei que o mal ia acontecer, pensei o pior. Fomos assistir ao jogo e obrigados a sair como se tivéssemos cometido um erro", afirmou Diego Lima, que foi jogador profissional de futebol e está aposentado desde 2017.

Palmeiras