PUBLICIDADE
Topo

Esporte


CEO da Inter de Milão admite ideia de manter San Siro

Plano inicial do clube é demolir estádio atual para substituí-lo; Prefeitura é contrária - Tullio Puglia - UEFA/UEFA via Getty Images
Plano inicial do clube é demolir estádio atual para substituí-lo; Prefeitura é contrária Imagem: Tullio Puglia - UEFA/UEFA via Getty Images

Da ANSA, em Milão (Itália)

03/12/2019 12h43

Após uma reunião com dirigentes do Milan, o CEO da Inter de Milão, Alessandro Antonello, não descartou hoje a possibilidade de manter o estádio de San Siro.

O plano inicial das duas equipes lombardas é demolir o histórico estádio italiano para construir uma nova arena no local, pois acreditam que a reforma do Giuseppe Meazza traria muitos problemas, e acima de tudo, seria muito cara.

No entanto, a ideia de manter o San Siro de pé é defendida pelo prefeito de Milão, Giuseppe Sala. Além disso, grande parte dos representantes do conselho administrativo da capital da Lombardia pediram para que o estádio não seja demolido.

"Foi uma reunião útil, mais uma vez os clubes se colocaram à disposição para propor ideias sobre a manutenção do San Siro e para trabalhar. A indicação que tivemos é que, de qualquer forma, existe uma ideia de manter o San Siro em diferentes cenários. O objetivo agora é trabalhar nessas várias hipóteses", declarou Antonello.

Ao contrário de Antonello, o presidente do Milan, Paolo Scaroni, afirmou que a ideia de ter dois estádios é "estúpida".

"A ideia de ter dois estádios vizinhos, o antigo e o novo, próximos um do outro, é algo que não me lembro de ter visto. Talvez seja o primeiro, que também pode ser bom, mas às vezes pode ser um pouco estúpido", disse Scaroni.

Com dois projetos de construção, a nova arena dos dois times italianos deverá ter capacidade para mais de 60 mil pessoas e os arredores do estádio terão hotéis, complexos de entretenimento e um parque. O custo total do empreendimento é estimado em cerca de 1,2 bilhão de euros. O San Siro, por sua vez, foi inaugurado em 1926 e passou pela sua última grande reforma no final dos anos 1980, quando fez o terceiro anel, realizado em função da Copa do Mundo de 1990, disputada na Itália.

Em visita surpresa ao San Siro, Kaká é ovacionado pela torcida do Milan

UOL Esporte

Esporte