Topo

Perrella minimiza atrasos no Cruzeiro: "não é possível que vai fazer falta"

Gestor de futebol não tem conseguido cumprir os compromissos de deixar os salários em dia no Cruzeiro - Bruno Haddad/Cruzeiro
Gestor de futebol não tem conseguido cumprir os compromissos de deixar os salários em dia no Cruzeiro Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

02/12/2019 19h17

Resumo da notícia

  • Perrella reconheceu, mas minimizou os dois meses de salários atrasados no Cruzeiro
  • Gestor de futebol disse que quantia atrasada não deve fazer falta aos jogadores
  • Dirigente celeste ainda disse que essa é a realidade de 70% dos clubes brasileiros

Dos assuntos comentados na entrevista de Zezé Perrella na chegada a São Januário, local onde o Cruzeiro jogará contra o Vasco, às 20h de hoje, pela 36ª rodada do Brasileirão, chamou atenção a resposta do gestor de futebol do clube mineiro ao ser perguntado sobre os salários atrasados. Com dificuldade para manter seus compromissos em dia, Perrella minimizou o atraso de dois meses.

"Dois meses atrasado, mas é uma realidade hoje de 70% dos clubes brasileiros. Parece que no Cruzeiro, de uns tempos para cá... Talvez porque o Cruzeiro não tinha essa história de atrasar salário. Agora, eu jogo muito aberto, não estamos em dia, tem que falar a verdade. Agora, jogador de futebol hoje está ganhando tanto dinheiro que se ele ficar dois meses sem receber não é possível que vai fazer falta", disse.

Pelo menos desde o meio do ano, o Cruzeiro tem encontrado dificuldade para pagar o salário de jogadores e até de funcionários do clube. Recentemente, o clube precisou se desfazer de jogadores como Raniel e Murilo, além de adiantar cotas de televisão e do futuro fornecedor esportivo (Adidas). Sem fonte de receita até o final do ano, a diretoria vive o momento mais turbulento de sua história, podendo ver o rombo nos cofres aumentar ainda mais em caso de um inédito rebaixamento para a segunda divisão.

Cruzeiro