Topo

Marco Rubén não segue no Athletico e cogita até encerrar a carreira

Marco Ruben comemora gol do Athletico contra o Fortaleza - Gabriel Machado/AGIF
Marco Ruben comemora gol do Athletico contra o Fortaleza Imagem: Gabriel Machado/AGIF

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

01/12/2019 10h59

Artilheiro do Athletico Paranaense na temporada 2019 com 12 gols, o argentino Marco Rubén não segue no Furacão em 2020. Neste dia 30 de novembro o prazo para que o clube exercesse sua opção de compra junto ao Rosario Central, no valor de US$ 1,2 milhões - cerca de R$ 5 milhões no câmbio atual, se encerrou. Rubén tem confidenciado a amigos próximos de que estuda até mesmo parar de jogar em 2020, o que seria um dos motivos para que ele não siga no Brasil.

O vice-presidente do Rosario Central, Ricardo Carloni, confirmou a volta de Ruben ao time argentino em contato com a reportagem do UOL Esporte: "Sim, é isso". O clube ainda não anunciou oficialmente este retorno. O Athletico não se manifestou oficialmente. "Creio que irão esperar esses dois jogos que faltam (no Brasileirão) para oficializar o retorno", comentou Nano Sanguinetti, jornalista que acompanha o dia a dia do Central para a FM Tango Rosario.

Marco Ruben demonstrou forte intenção de voltar à Argentina para viver perto da família e dos amigos e manter projetos fora do futebol. Aos 33 anos, Rubén venceu a Copa do Brasil e a Copa Conmebol/JLeague, inéditas para o Athletico, e a Copa da Argentina, inédita ao Rosario Central. Já atuou em clubes europeus na França, Espanha e Ucrânia e ainda passou pelo Tigres, do México. No Furacão, ganhou notoriedade ao marcar quatro gols em vitórias sobre Boca Juniores (três, na Libertadores) e River Plate (Recopa Sul-Americana).

Trajetória de sucesso

Ruben marcou gols decisivos para o Furacão na Copa do Brasil, nas classificações contra Fortaleza e Grêmio, e deu passes para gols importantes, como o de Léo Cittadini na final contra o Inter. O Athletico demonstrou interesse na permanência do jogador para a Libertadores 2020, mas Rubén esteve reticente e comentou várias vezes a intenção de se aposentar ou, no mínimo, voltar ao Central para encerrar a carreira.

Neste ano, Ruben perdeu o pai Alejandro, vítima de câncer. Há dois anos havia perdido o avô, Fermín, após um assalto. Depois da morte do avô, de quem era muito próximo, caiu de rendimento e só conseguiu recuperar-se no final de 2018, durante a Copa Argentina. Pouco depois acertou a vinda ao Brasil. Em Rosario, amigos e familiares de Marco Ruben aguardam a definição com expectativa de que ele possa seguir atuando, apesar das intenções do atacante, confidenciadas aos dirigente atleticanos.

"República Argentina" sofrerá desmonte

Além da iminente saída de Marco Ruben, o Athletico dificilmente terá em 2020 a manutenção da "República Argentina", três dos quatro jogadores que vestiram a camisa nesta temporada: Lucho González, Brian Romero e Tomás Andrade. Andrade pertence ao River Plate e seu empréstimo se encerra após o final do Brasileiro. Ele esteve em campo em 16 partidas na temporada, marcando um gol. Outro que terá empréstimo encerrado é Romero, oriundo do Independiente. O atacante jogou em 21 partidas e fez três gols.

Já Lucho González anunciou nesta semana sua renovação para toda a temporada de 2020. Aos 38 anos e com três títulos pelo Furacão (Sul-Americana, Copa do Brasil e Conmebol/JLeague), Lucho demonstrou interesse em seguir carreira como treinador, mas adiou os planos.

Athletico