Topo

A calma de Gandhi: quem é o auxiliar que completa o explosivo Sampaoli

Jorge Desio (esquerda) com Jorge Sampaoli (direita) comandam treino do Santos - Ivan Storti/Santos FC
Jorge Desio (esquerda) com Jorge Sampaoli (direita) comandam treino do Santos Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

01/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Sampaoli recebeu seu nono cartão amarelo no Campeonato Brasileiro e cumpre suspensão automática hoje
  • Pela quarta vez no ano, o auxiliar Jorge Desio irá comandar o Santos
  • Desio trabalha com Sampaoli desde o início da carreira e é completamente o oposto do treinador santista
  • Enquanto Sampaoli se notabilizou pelo comportamento explosivo, Desio tem a calma que vem de Gandhi, uma de suas referências

O comportamento explosivo de Jorge Sampaoli na área técnica do Santos já não é mais novidade em terras brasileiras. O treinador argentino não comanda o Santos hoje, às 19h, contra a Chapecoense, na Vila Belmiro, em virtude da terceira suspensão por cartões amarelos. Em seu lugar, o auxiliar Jorge Desio, que é exatamente o oposto de Sampaoli: uma calma de "vem de Gandhi".

Desio e Sampaoli se conheceram no início dos anos 90, no clube Renato Cesarini, de Rosário (ARG), formado de jogadores e também treinadores. Os dois criaram uma forte amizade durante o período, que resultou no convite de Sampaoli a Desio em sua primeira experiência como treinador, no Alumni de Casilda, em 94.

No primeiro ano trabalhando juntos, os dois levaram a equipe até a final da liga local. Curiosamente, já naquela competição, a primeira da dupla, Desio precisou comandar o time, pois Sampaoli estava suspenso. Na final, era Desio quem estava na beira do gramado. Sampaoli? Em cima de uma árvore, suspenso, mas sempre gritando.

"Era algo corriqueiro, sobretudo no início. Todo o tempo Desio precisava conversar com os árbitros nos jogos da Liga Casildense porque Sampaoli não se cansava de reclamar deles. Com o passar do tempo, se equilibrou. Já não tem aquelas suspensões que chegaram a durar 40 dias. É parte da história, por isso andava subindo nas árvore e arquibancadas", contou ao UOL Esporte Pablo Paván, autor da biografia de Jorge Sampaoli: "No escucho y sigo".

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Com exceção do Juan Aurich, do Peru, Desio acompanhou Jorge Sampaoli em todos os trabalhos. Nem sempre foi assistente, tendo assumido a preparação física por algum tempo, mas esteve sempre ao lado do amigo. Para Paván, os estilos opostos dos dois são a chave para o sucesso.

"Sempre foram opostos e complementares. Enquanto Desio lê Madre Teresa, Gandhi ou Martin Luther King, Sampaoli assiste a uma série de ação. Jamais romperam essa harmonia", explica Paván, que diz que os dois são amigos inseparáveis.

Apesar de serem fisicamente parecidos, com exceção das tatuagens que cobrem os braços de Sampaoli, ele e Desio possuem estilos diferentes no momento de cobrar os jogadores. Enquanto Sampaoli grita e anda de um lado para outro o tempo todo, Desio é mais contido e cobra individualmente.

Será a quarta vez que Desio irá comandar o Peixe da beira do campo. Além das três suspensões devido aos nove cartões amarelos que Sampaoli recebeu durante o Campeonato Brasileiro, o treinador também foi expulso em um duelo da Copa do Brasil.

O auxiliar está invicto nos jogos em que comandou o Santos: 0 a 0 com o Atlético-MG, pela Copa do Brasil, 1 a 1 com o Fluminense e 6 a 1 sobre o Goiás, ambos pelo Brasileirão.

FICHA TÉCNICA
Santos x Chapecoense

Data: 1/12/2019
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Jucimar do Santos Dias (BA)
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)

Santos: Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Felipe Jonatan; Alison (Pituca), Evandro e Sánchez; Marinho, Derlis González (Tailson) e Eduardo Sasha. Técnico: Jorge Desio.

Chapecoense: João Ricardo; Eduardo, Douglas, Maurício Ramos e Roberto; Márcio Araújo, Campanharo (Amaral) e Camilo; Roberto, Arthur Gomes e Henrique Almeida. Técnico: Marquinhos Santos.

Santos