Topo

Nenê vai de "ignorado" por Marcão a solução no meio para reta final do Flu

Nenê comemora gol de pênalti durante partida contra o Bahia, no Maracanã - Thiago Ribeiro/AGIF
Nenê comemora gol de pênalti durante partida contra o Bahia, no Maracanã Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

30/11/2019 04h00Atualizada em 30/11/2019 17h04

Preterido pelo técnico Marcão nas últimas rodadas, o meia Nenê pode se tornar essencial nesta reta final do Campeonato Brasileiro, momento em que o time do Fluminense ainda briga para acabar com qualquer possibilidade de rebaixamento. Com a lesão de Ganso, que corre o risco de não atuar mais nesta temporada, o camisa 77 vê a chance de virar "o cara" no meio de campo de um time que precisa de resultados positivos.

Nas últimas cinco partidas, Nenê foi titular apenas em uma, contra o Internacional. Desde as mudanças promovidas pelo comandante tricolor, que chegou a alterar, inclusive, o esquema tático - passou do 4-3-3 para 4-4-2 - o meia se tornou opção a Ganso e vem lutando por mais espaço no grupo.

Agora, contra o Avaí, Nenê terá o primeiro desafio de uma sequência importante para a equipe das Laranjeiras, que tem Botafogo, Cruzeiro, Ceará e CSA como rivais na ingrata luta na parte inferior da tabela.

"No São Paulo não tive problemas em ficar na reserva. Estou aqui para ajudar. Onde me colocarem estarei feliz, jogando ou não. Quero ajudar de qualquer maneira. Isso não vai ser problema nenhum. Mesmo sendo velho para o futebol, estamos sempre aprendendo", disse o meia durante a apresentação, em julho.

Desejo de Fernando Diniz, treinador que começou a temporada no Fluminense e hoje está no São Paulo, a negociação por Nenê não foi simples e demorou alguns meses para se concretizar. A primeira tentativa aconteceu ainda no início do ano, mas a tratativa foi negada pelo Tricolor paulista, clube que tinha os direitos do jogador. Em julho, porém, um final feliz para o "namoro antigo", como o próprio jogador classificou.

Até o momento, porém, o namoro ainda não se tornou casamento, se assim pode-se dizer. Entre as mudanças de treinadores - Flu já teve Diniz, Oswaldo de Oliveira e Marcão -, Nenê já atuou em mais de uma posição e busca afirmação. Talvez, nas próximas partidas, cruciais para o futuro do time, a chance de cair nas graças.

Protagonista em 2015, no Vasco

Paulo Fernandes/Vasco/divulgação
Imagem: Paulo Fernandes/Vasco/divulgação

A luta contra o rebaixamento não é novidade para Nenê. Em 2015, o meia foi o grande nome do Vasco, que também brigava contra o descenso no Brasileiro. Com nove gols, ele se tornou um dos responsáveis pela equipe de São Januário ter chegado às últimas rodadas ainda com possibilidade de escapar, o que acabou não se concretizando.

Fluminense