Topo

Perrella ataca gestão anterior por crise no Cruzeiro; ex-diretor rebate

Perrella rasgou o verbo chamou gestão atual e anterior do Cruzeiro de irresponsáveis - Bruno Haddad/Cruzeiro
Perrella rasgou o verbo chamou gestão atual e anterior do Cruzeiro de irresponsáveis Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

29/11/2019 15h36

Resumo da notícia

  • Zezé Perrella concedeu entrevista criticando gestões de Wagner Pires e Gilvan de Pinho Tavares
  • Atual gestor de futebol ainda criticou trabalho de Bruno Vicintin, antigo vice-presidente do clube
  • Vicintin rebateu declaração de Perrella e deu sua versão em carta aberta

Na manhã agitada da Toca da Raposa, Zezé Perrella, gestor de futebol do Cruzeiro, deu uma longa entrevista e tocou em outros assuntos além da demissão do técnico Abel Braga e da contratação de Adilson Batista como novo comandante. Um desses assuntos tratados foi a antiga administração do clube, sob o comando de Gilvan de Pinho Tavares, seu sucessor. Perrella disse que a gestão atual e também a anterior cometeram várias irresponsabilidades financeiras, e atacou antigos diretores, como Bruno Vicintin, ex-vice presidente de futebol, e Alexandre Mattos, hoje no Palmeiras.

"O responsável (pela crise) foi a gestão anterior a essa, que deixou o clube com mais de R$450 milhões de dívidas. Está nos balanços. Eu deixei uma dívida de R$117 milhões que não era só minha, mas uma dívida história do clube", iniciou Perrella.

"Só dos jogadores da base e do profissional que eu deixei na minha época, foram vendidos R$225 milhões. Gastaram toda essa grana com irresponsabilidade. Deixei o clube com 450 funcionários, hoje temos 700. Devem ter criado a Toca da Raposa 4 para aumentar tanto a despesa. Diretores ganhando cento e tantos reais por mês. Agora eu limitei, o teto é de R$30 mil. Ninguém vai ganhar mais que isso na área administrativa. Esse clube tem que ser passado a limpo", acrescentou.

Perrella ainda disse que a gestão atual e a anterior adotaram a mesma estratégia, de gastar o que não tem para ganhar a qualquer custo. O gestor ainda prometeu citar nomes após o fim da temporada, mas acabou atacando Bruno Vicintin, que ocupou o cargo de vice-presidente de futebol antes de Itair Machado.

"A gestão anterior não pagou praticamente ninguém que contratou, gastaram tudo com salário e delegando pessoas erradas. O Bruno Vicintin se diz um grande cruzeirense, mas é representante de seis jogadores da base. Estava aqui para pegar procuração de jogador e ganhar dinheiro. Não vou dizer que isso é ilegal, mas é no mínimo imoral. Aí fica na rede social com um batalhão de choque dele criticando a gente", falou.

Após a declaração de Perrella, Brruno Vicintin publicou uma carta aberta rebatendo o atual gestor do Cruzeiro. Abaixo, leia na íntegra:

"CARTA ABERTA

Entendo o desespero do ex-presidente Zezé Perrella. Ele aproveitou a oportunidade para tentar desviar o foco me atacando, mas vamos aos fatos:

Zezé Perrella estava fora do clube e as coisas andavam bem dentro do possível. Ao término do seu mandato como senador, sem qualquer força política, voltou ao clube por debaixo dos panos e quando teve que assumir e colocar a cara, imaginou que iria ser o salvador da pátria. Entretanto, as coisas ficaram ainda piores agora. E em uma tentativa insana vem me acusar. De quê?

Quando saiu em 2011, entregou um Cruzeiro a um ponto da zona de rebaixamento. Com muito trabalho e dedicação, de muita gente séria e que tem amor verdadeiro ao Cruzeiro, o clube foi bicampeão brasileiro, fato esse que ele não consegue engolir.

Do time que foi entregue da diretoria da qual fiz parte, para a atual gestão, o único que ganhou o título brasileiro de 2013, como titular, foi o goleiro Fábio. Do time que conquistou a Copa do Brasil no ano passado, contra o Corinthians, dos 11 titulares, 10 atletas que jogaram a final foram deixados por nossa administração.

Ele faz ilações de que tenho seis procurações de jogadores da base, mas isso é mera desinformação. Atualmente eu represento muito mais de seis atletas no clube, porque eu tenho uma empresa aberta de representação, empresa com CNPJ, registrada na CBF e que paga todos os seus impostos. Eu sou um investidor no futebol. De de cara limpa e todos sabem disso, porque é fato público.

Existe um exemplo muito claro nesse sentido: no Atlético-MG, nosso maior adversário, um ex-presidente montou um fundo de investimentos e opera no futebol. Tudo dentro da lei e com muita responsabilidade.

Para deixar ainda mais claro, são mais de 100 jogadores representados por minha empresa em 19 clubes brasileiros

Mas quero fazer um desafio ao Zezé Perrella e seu fiel seguidor, Itair Machado: que eles me acompanhem na Receita Federal, para que lá possamos abrir nossas contas pessoais e que eles apresentem as verdadeiras contas pelas quais são responsáveis nos dois últimos anos no Cruzeiro.

Washington Alves/Cruzeiro
Imagem: Washington Alves/Cruzeiro

Eu fui dirigente no Cruzeiro Esporte Clube por seis anos e jamais tive qualquer responsabilidade pela parte financeira. E sei que eles passaram os últimos dois anos, entre desculpas e fracassos, procurando alguma coisa do período em que estive no departamento de futebol. É óbvio que não acharam absolutamente nada, ou alguém tem alguma dúvida de que se tivesse algo, já teriam colocado na imprensa? Esse é um sinal de evidente do desespero do Zezé Perrella. Lamento muito por envolver o Cruzeiro, clube que amo e que lutei para torná-lo maior, mesmo com limitações nas minhas funções. Mas o fato é que, em dois anos, esse pessoal conseguiu destruir tudo que estava sendo feito, por conta de muita incompetência e extrema vaidade.

A título de comparação, do time que entrou em campo ontem e foi derrotado pelo CSA, na 35ª rodada do campeonato brasileiro, todos os jogadores ou foram trazidos pela atual administração ou, se da minha época, tiveram seus contratos renovados também pela atual gestão, o que determina que foram escolhas deste pessoal.

É interessante como Zezé Perrella não cita nessa entrevista coletiva seu parceiro e antecessor, Itair Machado, responsável direto pela formação do atual elenco. Nem sequer comenta sobre seu filho, Gustavo Perrella, que esteve trabalhando para essa gestão - em algo que nem se sabe o que, afinal, transparência não é com eles.

A verdade pura e cristalina é que a conta chegou para esse pessoal. O Zezé Perrella usou o Cruzeiro para atingir seus objetivos, usou o Clube e o tamanho de nossa torcida para alcançar projeção política e isso é inegável. Até por ser um cidadão que, antes do Cruzeiro, não tinha nenhuma expressão.

Quero fazer mais uma lembrança: o Zezé Perrella foi presidente do Conselho na gestão do Wagner Pires, tinha obrigação de fiscalizar e não apresentou nada, agora pela pressão do atual momento vem querer acusar a gestão anterior. Estou faz dois anos completamente afastado do Cruzeiro, não frequento o Clube e até pelas divergências, eu não queria atrapalhar. Mas ele e seus parceiros não me esquecem.

Esse momento do Cruzeiro é bastante delicado e todos deveriam pensar apenas no Clube, porém, infelizmente esse pessoal prefere sangrar ainda mais o Cruzeiro. É preciso registrar da forma correta: foram eles que tiraram o clube das manchetes esportivas e o colocou o Cruzeiro Esporte Clube nas páginas policiais".

Cruzeiro