Topo

Futebol


Renato pede calma após derrota do Grêmio e alfineta ao falar de G-6

Do UOL, em Porto Alegre

28/11/2019 00h28

Renato Gaúcho pediu calma depois de o Grêmio levar 2 a 0 do Athletico em Curitiba. Sem entrar em detalhes e nem avaliar profundamente a jornada fraca do time gremista, o treinador admitiu superioridade da equipe paranaense e desviou o foco. Nas palavras do técnico, o desespero da reta final do Campeonato Brasileiro tem de ser dos times que lutam por vaga no G-6 (em virtude do título da Libertadores do Flamengo e campanha do Furacão).

Quem se encaixa na indireta de Renato Portaluppi é o Internacional. Derrotado pelo Goiás por 2 a 1, em pleno Beira-Rio, o time de D'Alessandro e companhia é oitavo e viu justamente a equipe de Goiânia encostar na tabela.

O Grêmio soma 59 pontos, assim como o Athletico, mas segue em quarto lugar na classificação pelo saldo (21 contra 18).

"O Grêmio está no G-4. O trabalho é maravilhoso, o Grêmio depende de si próprio (para garantir vaga na fase de grupos da Libertadores). Quem tem que estar desesperado é quem está lá atrás, brigando pelo G-6. Ou nem vai entrar no G-6. Muita tranquilidade nessas horas… Não tem que se desesperar. Tem que se desesperar quem está lá atrás. O Grêmio está muito bem, tem 17 vitórias e depende de si próprio", disse o treinador.

Ao falar sobre o jogo em Curitiba, Renato Portaluppi foi rápido e rasteiro. Viu prejuízo enorme com a expulsão de Diego Tardelli, logo depois do segundo gol do Athletico.

"Já é difícil 11 contra 11, já estávamos perdendo e teve a expulsão dele. Se tínhamos alguma chance, dificultou ainda mais. O Athletico mais uma vez se comportou bem, mereceu a vitória", comentou Renato.

O Grêmio volta a campo contra o São Paulo, domingo, em Porto Alegre.

Futebol