Topo

Liga dos Campeões 2019/2020


Rodrygo foi moldado como oposto de Neymar e encara o ídolo pela 1ª vez

Rodrygo comemora gol do Real Madrid contra o Leganés - OSCAR DEL POZO / AFP
Rodrygo comemora gol do Real Madrid contra o Leganés Imagem: OSCAR DEL POZO / AFP

João Henrique Marques

Colaboração para o UOL, em Madri (Espanha)

26/11/2019 04h00

No entorno de Rodrygo Goes há o consenso de que a comparação com Neymar é danosa. Aos 18 anos, o atacante do Real Madrid cresce no clube e se preocupa em evitar uma sombra do jogador do Paris Saint-Germain originada basicamente pelo similar início de carreira, fazendo a transição do Santos à elite do futebol europeu. Se os passos dentro de campo do camisa 10 da seleção brasileira são vistos como espelho para Rodrygo, fora dele a preocupação é a de conduzir a fama de maneira distinta, com pouca badalação. Hoje, às 17h (de Brasília), eles se enfrentam pela primeira vez em duelo no Santiago Bernabéu válido pela fase de grupos da Liga dos Campeões

Rodrygo chega para o confronto com status surpreendente, construído em apenas cinco meses de Real Madrid: o de solução para encaixe no esquema 4-3-3 como atacante pelo lado direito. Foi desta forma, por exemplo, que marcou três gols na estreia pelo torneio continental, a goleada por 5 a 0 sobre o Galatasaray, há três semanas. Já Neymar, o maior artilheiro brasileiro da história da Liga, com 32 gols, fará sua estreia na competição na temporada.

No duelo entre Real e PSG, os dois ainda vivem momentos opostos em seus times, já que Neymar tem avaliação interna de defasagem física por ter ficado 40 dias afastado em recuperação de lesão na coxa esquerda —o retorno aconteceu na sexta-feira passada, na vitória por 2 a 0 diante do Lille, pelo Campeonato Francês. O treinador alemão Thomas Tuchel especulou o camisa 10 como um possível reserva no Santiago Bernabéu, mas ensaiou a equipe na véspera do confronto com o brasileiro na função de meia, com Mbappé e Di Maria pelos lados do ataque e Icardi como centroavante. Do time titular recorrente, quem perdeu a posição nessa configuração foi o senegalês Idrissa Gueye

Paralelos, mas mundos diferentes

"É uma estupidez me comparar com o Neymar. Ele já ganhou Olimpíadas, Liga dos Campeões, vários títulos importantes e é um dos melhores jogadores do mundo. Ele é o Neymar e eu quero ser o Rodrygo do Real Madrid", repete o jovem atacante, insistentemente, para a imprensa espanhola

No mundo de Rodrygo, o sucesso em campo vem acompanhado de passos cautelosos fora dele. As contas em redes sociais são monitoradas por uma equipe de especialistas, as entrevistas são raras e até o namoro com a brasileira Luana Atik Lopes, de 18 anos, não ganha exposição. Tudo ao contrário do ídolo Neymar.

Assim como Neymar, seu compatriota teve sucesso precoce. Aos 11 anos já tinha contrato assinado com a Nike, a mesma fornecedora do material esportivo do ídolo —Neymar tem acordo com a marca desde os 13. No Santos, o papo entre dirigentes e treinadores das categorias de base que o rondavam era, sim, de que estavam tratando com "o novo Neymar".

No relacionamento entre eles, a conversa acontece constantemente por WhatsApp e é definida como amigável. Aos 15 anos, em 2016, Rodrygo o conheceu em evento beneficente no Instituto Neymar, na Praia Grande. Na época, a foto colocada ao lado de Neymar em sua conta pessoal no Instagram define bem a idolatria: "Showman", legendou.

Showman??

A post shared by Rodrygo Goes - RG (@rodrygogoes) on

Os encontros entre eles ainda são poucos, geralmente em ambiente de festas. O último foi durante as férias de junho quando estiveram no aniversário de Vinícius Júnior, também do Real Madrid, no Rio de Janeiro. Rodrygo estava prestes a mudar do clube e já convivia também com o apoio do ex-jogador do Flamengo, adaptado ao clube merengue após uma temporada completa realizada. A dedicação de Neymar com amizade fora de campo e humildade no trato aos mais novos candidatos a craque da seleção brasileira sempre empolgou tanto o entorno de Vinícius, quanto o de Rodrygo. Vinícius, aliás, não foi relacionado pelo técnico Zinedine Zidane para o duelo em Madri.

Neymar é considerado pelos promissores brasileiros do Real Madrid como um talento inalcançável. De comportamento fora de campo que tem superexposição, relações com famosos e festas, é verdade, mas que em nada modifica a qualidade do futebol. A questão é vista na forma como o camisa 10 do PSG encara as responsabilidades como jogador, estando adaptado ao ambiente de pressão.

Para não colocar Rodrygo diante das mesmas dificuldades vividas por Neymar fora de campo, os familiares e empresários, responsáveis pela gestão de carreira, não querem diversos contratos de propaganda —embora reconheçam que o fenômeno Neymar de marketing é incomparável. Eles vivem em um ambiente em que a ordem é manter-se reservados. Foi desta forma que o jornal El Mundo apresentou Rodrygo quando contratado pelo Real Madrid no ano passado: "O Real Madrid contratou Rodrygo, o Neymar discreto", intitulou a reportagem sobre o reforço em junho do ano passado.

Rodrygo vive em Madri acompanhado dos pais e da irmã. Dois amigos e a namorada que moram na Baixada Santista também são visita constante. No Instagram, os posts são todos feitos a quatro mãos, sempre com o cuidado de não expor o jogador. Já sua conta pessoal tem foco no amor ao Real Madrid e seleção brasileira, e pouca exibição da vida pessoal.

É justamente no uso da rede social que o entorno de Neymar colheu os maiores problemas da carreira do atacante. Seja ele dentro de campo, com suspensão dos três jogos primeiros jogos da Liga dos Campeões por postar xingamentos à arbitragem de uma derrota do PSG por 3 a 1 para o Manchester United —lesionado, ele viu do estádio Parque dos Príncipes o time cair nas oitavas de final na temporada passada. Ou fora dele, como o alcance da modelo Najila Trindade, que o visitou em Paris e posteriormente apresentou queixa de estupro. A Polícia Civil de São Paulo concluiu o inquérito e decidiu não indiciar o jogador por crime.

No entorno de Neymar, a ideia é de que a impossibilidade de jogar futebol por um largo período devido às lesões sofridas nas duas últimas temporadas aqueceu o noticiário do comportamento do jogador. A opinião é de que existe uma perseguição da mídia, e necessidade de venda de assuntos polêmicos envolvendo o camisa 10. Algo que não acontece com talentos da nova geração, como Gabriel Jesus, Vinícius Júnior ou Rodrygo Goes. Todos estariam vivendo sob o escudo de Neymar.