Topo

Fred vive novo jejum após encerrar maior seca da carreira contra o Santos

Fred desencantou contra o Santos, mas iniciou novo jejum de gols com a bola rolando e hoje está em baixa - FERNANDO MORENO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Fred desencantou contra o Santos, mas iniciou novo jejum de gols com a bola rolando e hoje está em baixa Imagem: FERNANDO MORENO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

22/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Contra o Santos, Fred voltou a marcar pelo Cruzeiro após 16 jogos, maior seca da carreira
  • Desde a vitória contra o Peixe, atacante fez outros 17 jogos e marcou só quatro gols
  • Centroavante não marca há cinco jogos; gol com a bola rolando não acontece há três meses
  • No reencontro contra o Santos, Fred pode perder a vaga na equipe titular para Sassá

Apesar dos 21 gols e da artilharia isolada do Cruzeiro em 2019, o atacante Fred anda de mal com as redes. E amanhã o camisa 9 poderá ganhar uma nova chance de encerrar o jejum de cinco jogos e se redimir com a torcida, que também não está tão bem com o jogador. O adversário é o Santos, terceiro colocado do Brasileirão e o estádio é a temida Vila Belmiro. A favor do centroavante, está a lembrança feliz do fim da sua maior seca de gols da carreira, há três meses, justamente contra o Peixe.

Quando Cruzeiro e Santos se enfrentaram no primeiro turno (vitória celeste por 2 a 0), Fred estava há 16 jogos sem fazer um gol. Depois de voar no primeiro semestre e atingir uma marca próxima de um tento por partida, o atacante não conseguiu manter o ritmo a partir do início do Brasileirão. Aquele foi o maior jejum em mais de 15 anos de carreira no futebol.

O jogo no Mineirão também marcou a estreia de Rogério Ceni pelo Cruzeiro. Em campo, Gustavo Henrique recebeu um cartão vermelho relâmpago, o que ajudou muito a vitória celeste contra o então líder. Depois de muito pressionar, o Cruzeiro marcou com Fred pouco antes do intervalo, recebendo passe de Thiago Neves. A vitória animaria muito a torcida por dias melhores no Brasileiro e na Copa do Brasil, o que acabou não acontecendo nas semanas seguintes.

Mesmo com o fim da seca, Fred não foi mais o mesmo jogador do início do ano. Desde aquela partida, ele entrou em campo em outras 17 vezes e marcou só em quatro oportunidades. O curioso é que o único gol que não foi de pênalti aconteceu no jogo seguinte, contra o CSA. Por isso, o atacante já contabiliza um novo jejum. Além dos cinco jogos sem marcar, ele também está há quase três meses sem balançar as redes com a bola rolando.

Pelo rival Atlético-MG, Fred contabilizou sua segunda maior seca como profissional, ficando sem marcar por 12 jogos, mesmo jejum que viveu em 2007/2008 pelo Lyon, da França. Com a camisa do Fluminense ou da seleção brasileira, o maior período sem gols do atacante foi de dez partidas.

Vaga ameaçada

Na última segunda-feira, Fred começou a partida contra o Avaí na reserva por causa de um imprevisto com o filho horas antes da partida, mas estava na escalação inicial que Abel Braga pretendia levar ao campo. Isso não significa, porém, que está com sua vaga garantida.

Apesar da tendência de começar jogando contra o Santos, o atacante tem a sombra de Sassá, pedido frequentemente pelos torcedores e que agradou em partidas recentes, seja com gol ou por aumentar a agressividade do time.

Correndo por fora, está também o camaronês Joel, que vem sendo bastante elogiado nos treinos, mas ainda não ganhou muitas oportunidades no time. Em sua última entrevista, Abel deixou em aberto as vagas para seu setor ofensivo e garantiu que novos nomes receberão mais chances.

Cruzeiro