Topo

Futebol


Juanfran: brasileiros precisam ter mais foco no jogo e menos no árbitro

Ronny Santos/Folhapress
Imagem: Ronny Santos/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

20/11/2019 09h24

O lateral espanhol Juanfran, que chegou ao São Paulo neste ano, deu uma longa entrevista ao jornal Marca. Na conversa, o experiente jogador falou sobre as características do futebol brasileiro.

Para o ex-Atlético de Madri, um ponto negativo dos atletas brasileiros é a atenção exagerada na arbitragem. "O jogador brasileiro tem que se concentrar mais em jogar e não pensar se o árbitro apitará ou não. Recentemente, fiquei com raiva de um árbitro e conversamos muito, porque em uma jogada em que quase não havia atrito, meu adversário se jogou como se eu o tivesse matado. Isso tem que mudar por aqui".

No São Paulo há mais de três meses, o espanhol revelou que nenhum atacante brasileiro o causou preocupações além do normal - como era o caso de Neymar nos embates entre Atlético de Madri e Barcelona.

"Eu marquei todos eles bem. E olha que todo mundo conversou comigo sobre o Everton Cebolinha, do Grêmio. Ele praticamente não fez nada, embora seja muito bom. Ainda não tive um duelo importante ou me senti sobrecarregado como já senti com Neymar e espero não ter", afirmou.

Juanfran marca Everton durante partida entre São Paulo e Grêmio - Alan Morici/AGIF
Juanfran marca Everton durante partida entre São Paulo e Grêmio
Imagem: Alan Morici/AGIF

Juanfran também abordou a questão sobre o nível tático no futebol local e a polêmica envolvendo treinadores estrangeiros.

"No nível tático, aqui há uma cultura de muitos anos atrás, precisa ser taticamente um pouco melhor. Eu acho que os treinadores brasileiros estão mudando, eles estão olhando as coisas boas da Europa para trazê-los aqui para cá. Também existem treinadores vindos de fora, como Jorge Jesus e Sampaoli, que estão fazendo um bom trabalho em seus clubes. Mas, há treinadores brasileiros muito bons que estão fazendo um bom trabalho".

O atleta falou que espera que, assim como 2019 está sendo o ano de Filipe Luis - seu ex-companheiro que hoje atua no Flamengo -, o ano que vem reserve boas coisas para ele e para o seu clube atual.

"Eles [São Paulo] não vencem aqui há muitos anos. Outro dia, eu conversei com Filipe e disse a ele que este ano seria dele, mas no próximo ano ele será meu. Essa mentalidade que temos e que vivemos no Atlético de Madrid todos esses anos não vai mudar, isso é para toda a vida", completou.

Futebol