Topo

Após carreata no Rio, Fla chega a Lima com aparato policial e pouca festa

Leo Burlá e Rodrigo Mattos

Do UOL, em Lima (Peru)

20/11/2019 21h40

Eram exatamente 19h37 (horário de Lima e 21h37 de Brasília) quando o voo 9381, que saiu do Rio de Janeiro com a delegação do Flamengo, tocou o solo de Lima, palco da final da Libertadores, no sábado (23).

Ao contrário da mobilização imensa que ocorreu antes do embarque no Rio de Janeiro, a chegada na capital peruana foi tranquila e não houve contato entre jogadores e os torcedores que encararam a distância grande até Callao, município que abriga o aeroporto. Seu adversário na decisão, o River Plate chegou minutos mais cedo. Da pista, os rubro-negros seguiram até o hotel, local que já concentra um número bem maior de torcedores. Por ser mais perto de uma zona turística, o lugar foi escolhido pela maioria para ser o ponto de concentração.

REUTERS/Guadalupe Pardo
Imagem: REUTERS/Guadalupe Pardo

Apesar da calmaria, a polícia local reforçou os acessos à área de embarque e impediu que as pessoas entrassem sem estarem com seus cartões de embarque. Não houve nenhum registro de confusão.

O clima de euforia também foi vetado no hotel do Flamengo. Isso porque a polícia peruana realizou um isolamento no quarteirão e a maioria dos rubro-negros ficaram barrados. Cerca de 100 torcedores fizeram uma festa, já que eles chegaram ao local antes da ação.

E ainda assim tiveram que atender ordem dos policiais e se afastar por cerca de 20 metros do hotel. Mesmo assim eles cantaram em apoio aos jogadores assim que eles deixavam o ônibus para entrarem no hotel.

O Fla faz seu primeiro treino no palco da decisão amanhã (21), no centro de treinamento da seleção local.

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do que informado anteriormente, a polícia peruana que realizou um isolamento no quarteirão do hotel em que o Flamengo está hospedado e não a torcida. O erro foi corrigido.
ESPN, Ei PLus e Fox Sports

Assista aos jogos e programas de ESPN, EI Plus e Fox Sports sem TV a cabo.

Flamengo