Topo

Como possível título do Flamengo na Libertadores interfere no SPFC de 2020

Técnico Fernando Diniz do São Paulo -  Érico Leonan / saopaulofc.net
Técnico Fernando Diniz do São Paulo Imagem: Érico Leonan / saopaulofc.net

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

19/11/2019 04h00

O São Paulo tem motivos para acompanhar de perto a decisão da Libertadores, entre Flamengo e River Plate, da Argentina. Caso o time carioca seja campeão, uma vaga a mais na fase de grupos do torneio continental de 2020 será aberta no Campeonato Brasileiro. Hoje, o Tricolor paulista ocupa a sexta colocação no nacional, com 53 pontos - mesmo número do Athletico-PR (que leva vantagem no número de vitórias, mas já está garantido no torneio internacional por ter vencido a Copa do Brasil).

No nacional de pontos corridos, os quatro mais bem posicionados estão seguros na etapa de grupos da Libertadores do ano seguinte. Já o quinto e o sexto disputarão a etapa eliminatória. E para o planejamento do Tricolor paulista de 2020 faz muita diferença disputar ou não o torneio internacional. Até mesmo qual fase o time da capital paulista vai jogar interfere na hora de fazer contas e de produzir uma agenda.

Como o UOL Esporte já publicou, o São Paulo não pretende fazer investimentos tão altos na hora de montar o elenco. Até mesmo pelo momento financeiro conturbado, o principal esforço deve ser para manter a maior parte dos jogadores e fazer contratações pontuais.

Se o time estiver garantido na fase de grupos da Libertadores, o São Paulo terá mais tempo para trabalhar no mercado da bola, para fazer uma boa pré-temporada e até um pouco mais de tranquilidade para gastar dinheiro. Afinal, o time terá mais um mês para se preparar antes de estrear na competição e mais exposição na competição.

No cenário atual, com a vaga na Pré-Libertadores, o Tricolor paulista já terá uma decisão logo no início do ano. Nesta temporada, por exemplo, o time do Morumbi foi eliminado pelo Talleres, da Argentina, em fevereiro. Pelo lado financeiro, tal situação também não é a ideal. Por não ter atuado na fase de grupos, o clube calcula que deixou de ganhar cerca de R$ 20 milhões com renda e direitos de transmissão em 2019.

Até mesmo na hora de trazer reforços faz diferença saber qual etapa do torneio vai disputar. Um jogador que estiver sem atuar há muito tempo, que venha do mercado chinês, por exemplo, provavelmente vai ter mais dificuldade para se adaptar ao São Paulo - como aconteceu com Hernanes. Ou seja, o atleta poderá não render o esperado em uma decisão de mata-mata na Pré-Libertadores logo no início do ano.

A comissão técnica também deve ter mais tranquilidade para seguir no clube com a vaga para a Libertadores como retrospecto. Fernando Diniz é alvo de críticas dentro do conselho tricolor e tem um contrato regido pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Assim, o acordo não prevê um tempo determinado de vínculo e também não foi preciso que uma multa rescisória fosse negociada. Por tudo isso, não é de se estranhar que o São Paulo vá acompanhar de perto a decisão da Libertadores.

São Paulo