Topo

Personalidade e frieza ajudam a explicar como garoto barrou Léo no Cruzeiro

Aos 20 anos, zagueiro entrou no time e não saiu mais, mesmo com o retorno do experiente Léo - Thiago Ribeiro/AGIF
Aos 20 anos, zagueiro entrou no time e não saiu mais, mesmo com o retorno do experiente Léo Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

18/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Aos 20 anos, Cacá forma dupla de zaga ao lado do também jovem Fabrício Bruno, de 23
  • Garoto da base herdou vaga de Léo, mas continuou como titular de Abel após retorno do veterano
  • Cacá apresenta muita personalidade para sair jogando, além de ser rápido e ter ótima impulsão

O Cruzeiro entra em campo hoje para uma nova decisão no Campeonato Brasileiro. Às 20h, o time celeste recebe o Avaí, no Mineirão. Com obrigação de vencer, o time não pode se dar ao luxo de tropeçar em casa. Para isso, contará com uma dupla de zaga jovem, formada por Fabrício e Cacá, mas que vem dando conta do recado.

Cacá, aos 20 anos, vem chamando atenção em campo a ponto de seguir como titular de Abel mesmo com a volta do experiente Léo. Personalidade e frieza para encarar o momento delicado ajudam a explicar como o garoto vem realizando essa façanha.

Com Dedé no departamento médico, Cacá herdou uma vaga no time após Léo ter uma lesão na clavícula. Líder, veterano e 'capitão sem faixa', o experiente zagueiro se recuperou, mas acabou não retomando seu posto. Isso não aconteceu nem mesmo no clássico contra o Atlético-MG, quando Abel Braga reconheceu a importância de ter alguém mais experiente protegendo a meta do goleiro Fábio. Mas os números ajudam a explicar a opção do comandante: nos últimos quatro jogos, o Cruzeiro só sofreu um gol. Esse é o melhor momento da defesa celeste em comparação ao desempenho obtido com Mano Menezes e Rogério Ceni.

"É uma dupla de garotos, de meninos, que têm sonhos de fazer história como muitos fizeram. Eu, como torcedor do clube, tenho sonho de entrar para a lista de ídolos do Cruzeiro. O Fabrício também é torcedor do clube. E a oportunidade que Deus enviou nesse momento difícil estamos sabendo aproveitar bem. Ele (Fabrício) me dá dicas por ser mais rodado. Está sempre procurando me ajudar. Também passo dicas para ele. É isso que vem acontecendo, estamos melhorando a cada jogo, nos entrosando cada vez mais. É uma dupla preparada para qualquer confronto e pronta para fazer história", disse Cacá.

Vinnicius Silva/Cruzeiro
Imagem: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Mas não é só o sonho em se tornar ídolo que contribui para o bom rendimento de Cacá. Apesar da pouca idade, o zagueiro também se destaca pela personalidade que vai além da desenvoltura nos microfones e é vista também no comportamento dentro de campo, nas saídas de bola e na frieza para lidar com momentos importantes.

"Estou sempre jogando com muita frieza, procurando ficar o mais calmo possível. Tem gente que fala que fico calmo até demais, que dá até medo. Mas desde pequeno sou assim, sempre gostei de sair jogando, de tentar achar um passe que eu acho que dá. Está dando certo, estou achando bons passes. Não tomando gol, é uma boa ajuda para a equipe", acrescenta.

Fechando a lista de qualidades, a juventude de Cacá o permite ser um zagueiro rápido, que consegue chegar antes dos atacantes e antecipar jogadas em campo. Pelo alto, também são unânimes os elogios dos companheiros à impulsão do atleta. Apesar de ter 'apenas' 1,84m, um dos menores entre os zagueiros, Cacá sobe muito alto. Recentemente, foi assim que ele marcou seu primeiro gol como profissional, diante do Botafogo, no Rio de Janeiro. Agora, ele estará novamente em campo para dar sequência à boa fase e tentar ajudar o Cruzeiro a deixar o Z-4 e se afastar um pouco mais da briga contra o rebaixamento.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO x AVAÍ

Motivo: 33ª rodada do Brasileirão
Data/Hora: 18/11/2019, às 20h (de Brasília)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Diego Pombo Lopez (BA)
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
VAR: Elmo Alves Resende Cunha (GO)

CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Fabrício Bruno, Cacá e Dodô; Henrique, Éderson; Thiago Neves, Marquinhos Gabriel, David (Robinho); Fred (Sassá). Técnico: Abel Braga.

AVAÍ: Vladimir; Léo, Eduardo Kunde, Marquinhos e Igor Fernandes; Luanderson, Pedro Castro, Richard Franco e Luan Pereira; Caio Paulista e Vinicius Araújo. Técnico: Evando.

Cruzeiro